segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Frustrações na vida


Em resposta a sugestão pedida pelo Anónimo no post Sugestão: "Eu gostaria de saber a importância das frustrações em nossas vidas."

As frustrações na nossa vida, são resultados de expectativas não alcançadas, sonhos não realizados, insatisfação com a vida, ou seja algo que muito desejamos mas que de alguma forma não conseguimos. É importante a frustração na nossa vida? Depende, se gosta de sofrer ou não.

A frustração é uma forma de sofrimento e ninguém veio para sofrer a não ser que essa seja a sua própria escolha. O primeiro passo para mudança é descobrir qual é a causa desta frustração, no íntimo, bem lá no fundo, qual é a raiz do problema.

Para uma melhor vida, liberte-se e relaxe, deixa que a própria vida vá respondendo ao seus desejos. Eu sei, é difícil, porque criamos com sentido que temos que controlar tudo, mas na maior parte das vezes este controlo é precisamente o seu bloqueio, porque, lembre-se, a vida não é uma coisa linear. A gratidão para com o que já conquistou é importante.

Se esta frustração é fruto de algum objectivo não alcançado, não olhe como um falhanço, antes pense que virá algo ainda melhor. Posso falar por mim, sempre que quero algo e não consigo, relaxo e de repente obtenho algo ainda melhor do que eu próprio contava. Isso acontece sempre comigo, guitarra, emprego, viagens, etc. O que é preciso é deixar a vida nos responder, não querer controlar todas as variáveis da vida e estar atento as oportunidades que nos aparecem. Em geral, boa parte das pessoas não sabem observar uma oportunidade, isso porque mesmo que esteja em frente delas, estão sempre a pensar no que não pode ser, que é impossível, etc. Isso é uma forma de bloqueio.

Uma grande armadilha que muita gente cai é acreditar sempre que a falha do outro, ou experiência do outro será igual a dele. Isso não é verdade, mesmo para ideias absolutistas, cada um tem a sua sorte, carisma e energia.

Resumindo a frustração não é positivo na nossa vida, muitas vezes torna as pessoas amargas, de tal forma que não conseguem aproveitar tudo de bom que lhe aparece.

Não fique obcecado pelo que não tem, valorize o que tem.

Se não gosta como vive, então mude.

As coisas começam com o desejar, há uma diferença entre querer e desejar. Querer você pensa no que quer e Desejar você sente o que quer.

Lembre-se, a vida não é linear, há vários caminhos para uma só meta,
por isso, foque na meta e deixe que a vida lhe vá mostrando os caminhos.

Não planeie tanto, deixe 50% de hipótese aberta para vida.



domingo, 13 de dezembro de 2009

O homem


O homem tem mais medo do ele que sente, do que de uma arma.

O homem é um ser que tem um grande dificuldade em expressar o que sente. Esta dificuldade vem principalmente ter tomado, embora não saiba se alguém alguma vez o deu, o papel de protector e daquele que tem que tomar as decisões mais fortes. Nos dias actuais, a expressão do que se sente, feita pelo homem, já está um pouco mais aberta, já é expressa com os amigos, os quais também já têm outra compreensão.

A repressão dos sentimentos no homem muitas vezes manifesta-se como violência, ou comportamentos agressivos. O medo que tem de enfrentar ou mostrar o que sente, de chorar, é que o achem fraco, porque vive do falso orgulho instituído pela sociedade que acha que um homem não deve chorar ou mostrar o que sente.

O homem precisa de um maior contacto consigo mesmo, desprovido dos estigmas da sociedade, precisa de maior capacidade de compaixão, e reduzir o ego para que possa manter um equilíbrio




domingo, 6 de dezembro de 2009

Gurus, mentores e líderes



Em conversa com alguns amigos, muitas vezes perguntam, quando falam de gurus, ou mesmo de pessoas que estejam envolvidos no desenvolvimento espiritual, como saber se são verdadeiros ou não.

Seja qual for o líder, embora este estatuto não deva existir, é necessário que a pessoa que ouve não oiça somente a mensagem verbal, é necessário que a pessoa oiça a mensagem não verbal, ou seja, sinta se o que ali condiz realmente com a sua verdade.

O verdadeiro Guru respeita o livre arbítrio e normalmente nunca diz que o sigam, ele não exerce poder sobre seja lá quem for, não dirá para fazer, sugerirá as várias possibilidades do que pode fazer a quem busca pelo seu conhecimento.

Ele não precisa de notoriedade e reconhecimento para alimentar o ego, isso porque o seu ego já é alimentado pela simples "Gratidão" do "Ser". Ele não tenta convencer seja lá quem for, porque ele sabe que não basta ouvir,o mais importante é sentir o ensinamento no coração.


Estas pessoas não julgam e muito menos manipulam. É necessário ter particular atenção a manipulação. Porque estes funcionam como os falsos pastores, que aproveitando da fragilidade da pessoa e a manipulam e controlando suas vidas. O verdadeiro, para as pessoas frágeis, não as manipula, mas as indica o caminho que existe dentro delas, diz para ir buscar a resposta dentro dela, ajudando essa pessoa a conhecer o seu "Eu".

Muitos julgam que o facto de cobrar dinheiro faz dele mentiroso, só esquecem que essa pessoa continua ser um ser Humano, até porque o problema não está no dinheiro, mas sim nas pessoas. Ao contrário do que as pessoas querem pensar, principalmente por consequência da Igreja Católica, um Guru não é um santo, mas é sim uma pessoa com um nível elevado de consciência e de espiritualidade. Até porque, o que é um santo no verdadeiro sentido da palavra?.

Resumindo, não se limite a seguir, ou ouvir o que se diz, mas em sentir a energia libertada das palavras, e aí o seu coração irá dizer se é verdadeiro ou não, e lembre-se em não julgar, o Guru até pode ser falso, mas a mensagem ser verdadeira e vice-versa .

domingo, 29 de novembro de 2009

Sugestão de post


Como alguns post nascem em resposta a preocupações expostas por pessoas que a mim chegam, este post quer dar a oportunidade de sugerirem algum tema que gostariam de ver abordado por mim. Estarei durante algum tempo fora do pais, mas estarei ligado.

Deixem as vossas sugestões
.

sábado, 21 de novembro de 2009

Julgar



Dado o comentário posto pela Anabela no post "Ter sabedoria", achei melhor responder de forma mais explicativa alguns pontos

"É da essência do ser humano julgar que é o mesmo que dizer escolher. usar o livre arbítrio não é muito mais do que julgar. é?

todos os nossos actos de consciência estão sujeitos a julgamento. Podes calá-los mas não impedes o seu julgamento. Não sendo feito por terceiros, porque os calaste, será feito pela consciência. Não há como escapar, é assim que aprendemos"

De facto está certo quando diz que é essência do ser humano julgar, mas isso por causa das influências sociais. As influências sociais definem determinados padrões que todos devemos de certa forma corresponder a eles. Ao contrário do que muitos possam pensar, julgar não é escolher e muito menos o uso de livre arbítrio.

Julgar é o acto de avaliar e condenar alguém pelo uso do seu livre arbítrio.

Realmente todos os nossos actos de consciência estão sujeitos a julgamento, mas é necessário perceber também que o resultado deste julgamento depende do que é a verdade para cada um. Consequentemente, o que é errado para alguns é certo para outros.

É necessário diferenciar entre avaliar e julgar. Avaliar como resultado obtemos sempre bom ou mal, mas não existe nenhuma condenação, ou sentença em relação ao resultado, ao passo que o julgamento tem sempre uma condenação.

Quando se refere ao não julgamento, é o respeito pelo livre arbítrio do outro ao nível de consciência e não ao nível de personalidade. Refere a absorver a pessoa, pela energia que emana e não pelo que os olhos vêm, a olhar para a pessoa para além daquilo que ela mostra.

Escolhas e preferências é tudo livre arbítrio os quais devemos respeitar. Há naturalmente certa dificuldade em interiorizar o não julgamento, principalmente porque a maior parte das pessoas, olha para o julgamento como resultado de um crime e que se vai ao tribunal e o réu é preso ou absolvido. Mas o que se refere é para além da lei dos homens, porque o réu condenado por um tribunal, não é um réu condenado pela consciência, e é a sua própria consciência que o condenará e o julgará.

O sistema judicial só serve muitas vezes para aprisionar um corpo, ou seja, a matéria, mas não a consciência. No entanto, esta prisão física muitas vezes dá o tempo necessário para que o réu se encontre com a sua consciência, daí muitos prisioneiros se tornarem religiosos.

A nossa dificuldade em aceitar o simplesmente SER, nos assusta, porque não queremos ser julgados à margem do que são os ditos padrões sociais, daí a grande necessidade do TER.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Ter sabedoria


Aquele que tem sabedoria; não diz sempre a verdade, não expressa sempre a sua opinião, não diz tudo que pensa, observa ao seu redor, pensa antes de se exprimir e mantém o segredo somente com ele.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Viver Positivo



Não seja contra algo,
mas sim a favor do resto.


Não encare estar sozinho como solidão,
mas sim como um momento consigo mesmo.

Não viva para o que não gosta,
mas sim para o que gosta.


Não olhe o problema no ponto de vista do problema,
mas olhe para ele no ponto de vista da solução.


Não julgue,
se puder, ajude.


Não encare as lágrimas como fraqueza,
mas encare como expressão da alma.


Não foque na morte,
olhe para o novo nascimento.


Não olhe a falha como perda,
mas sim reveja a experiência que adquiriu
.

Não lamente pelo que ainda não tem,
mas abençoe o que já conquistou
.

Não passe as tristezas em desespero,
mas pense num processo para ficar alegre.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Sonho, Sonhar


Podemos definir os sonhos como uma vida abstracta, vivida no subconsciente ou no consciente, onde visualizamos ou planeamos alguma realização ao nosso gosto. É comum muitas vezes focarmos a realização dos nossos sonhos e expectativas sobre alguém. Este tema vem em resultado de conversas com muitos amigos/as que se mostram muitas vezes desapontados porque a pessoa com que pensavam realizar o seu sonho não partilha o mesmo sonho.

Em primeiro lugar é necessário clarificar que não se vive o mesmo sonho, mas sim se partilha. O que quero dizer é, mesmo pessoas com aparentemente mesmo sonho, é uma realização particular de cada um, ou seja, toda a emoção da realização deste sonho é vivida de forma individual e é escolha deste indivíduo partilhar com outras pessoas.

"Sonho se partilha com outras pessoas"

Para ser menos abstracto, aos 9 anos de idade, eu tive um forte sentimento de que, mesmo antes de os ter, iria amava muito a minha mulher e meus filhos. Ora este sentimento é abstracto mas é vivo e sentido. Digo que é abstracto porque este amor não tem rosto, não tem personalidade, mas sim amor puro que pretendo dar a mulher e aos filhos.

"Sonho não deve ter rosto"

Os sonhos não devem ser "depositados em..", mas sim "partilhados com...", assim sendo, o que quero dizer é que qualquer que seja o seu sonho individual, partilhe-o ao contrário de o depositar noutra pessoa. Não depositando noutra pessoa, o fará mover mais facilmente na vida, quando esta pessoa por algum motivo já não quiser partilhar o sonho.


"Os sonhos não devem ser "depositados em..", mas sim "partilhados com..."


Importante frisar também que melhor do que sonhar é realizar o sonho. Como se costuma dizer, se quer sonhar, vai dormir. Muitas pessoas estão tão presas na sequência linear de realização dos seus sonhos que se bloqueiam, porque as oportunidades não lhe aparecem na ordem esperada. Outras ainda, esperam sempre que esteja todas as condições a 100% para começar e nunca começam porque falta sempre algo.

"Se quer sonhar, vai dormir"

A realização de sonhos passa por querer e fazer por aquilo que ser quer. Ter uma boa intuição, fé e sabedoria são ferramentas de trabalho. A sabedoria é muito importante porque fará decidir e ver muitas vezes oportunidades mascaradas, a fé o fará manter-se quando estiver nos momento mais incertos, em que as coisas parecem não correr como desejava, e a intuição é o que lhe pôs nesta grande alhada que é como lutar pelo sonho :).

"Intuição, fé e sabedoria, ferramentas de trabalho."



sábado, 17 de outubro de 2009

Geneticamente casados

Indubitavelmente quando observamos à volta, na natureza pura, vemos que todos nós fomos criados para que num determinado ponto da nossa vida precisamos prolongar os nossos genes. De facto é uma forma fria de referir ao relacionamentos, mas no sentido mais simples é exactamente isso que fazemos, reproduzimos. Todo mundo animal está praticamente dependente deste factor genético, e aí, como até agora é, a responsabilidade das crias caí sempre sobre a mãe.

Indo para o mais complexo, o ser humano foi criado ou desenhado para ser casado, não no sentido legal do casamento, mas no sentido emocional ou sentimental.


Muito embora os padrões de vida, vemos homens e mulheres com o sentido de uma vida independente, e quando muitas destas pessoas dizem que não querem ter relacionamento, o factor condicionante não é o desejar estar sozinho/a, mas o medo do que estar com alguém possa representar. Nos nosso genes está intrínseco a procura de um companheiro/a. Existe a necessidade de ter alguém com o qual partilhamos aspectos da nossa vida que não partilhamos com mais ninguém, a intimidade, a emoção, até mesmo a estabilidade emocional.

Na conjuntura social actual, a solidão e o amor são alguns dos maiores medos das pessoas, não porque não existam parceiros, mas pela quantidades de tentativas que muitas vezes é necessário fazer para o encontrar,
principalmente a mulher, que tem tendência a sentir-se usada
muitas vezes. Como se costuma dizer;

"O grande problema de encontrar o príncipe encantado é a quantidade de sapos que se tem que beijar".

Concluindo, não fomos feitos para estar sozinhos, muito embora muitos tentem disfarçar que nada quem com alguém, este disfarce na realidade é o medo de entrar no jogo de sentimentos e emoções onde podemos perder nós mesmo.

Todos nós chegamos ao ponto em que estar com todo mundo já não nos satisfaz, em que precisamos alguém do nosso lado, alguém que transmita segurança, que nos dê atenção, carinho e principalmente companheirismo.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Julgamento


As vezes, por não julgarmos os outros, estes pensam que não pecam o suficiente para julgar a nós e aos outros.

domingo, 20 de setembro de 2009

Reflexo no espelho



Diariamente todos nós passamos alguns momentos em frente ao espelho, onde por qualquer motivo o utilizamos para olhar o nosso reflexo, quando nos vestimos, barbeamos etc. Como referi, nós olhamos para o reflexo, mas muitas vezes não nos vemos, ou seja, não nos observamos, não olhamos para aquele reflexo e perguntamos quem é, o que é.

Na verdade, maior parte das pessoas com problemas evita ver o próprio reflexo no espelho. A imagem que aparece não agrada, ou representa sofrimento e dor. O espelho, embora um objecto vulgar no nosso quotidiano, é um objecto que serve também para ver o estado da nossa alma, e este facto faz com que as pessoas tenham medo de o enfrentar. De reparar que quando estamos feliz gostamos mais de passar o tempo a observar-nos ao contrário de quando estamos tristes.

O espelho é também um instrumento do psicólogo ou de auto-ajuda, porque ajuda a pessoa confrontar-se com seu "Eu" mais íntimo. É uma forma de saber como a pessoa realmente vê a si mesmo no mundo.

sábado, 12 de setembro de 2009

Porque as vezes é mais fácil ajudar os outros?!



Porque é mais fácil ajudar os outros do que a nós mesmo?!


Porque é mais fácil ouvir a dor alheia do que a nossa própria dor.


Porque é mais fácil limpar as lágrimas dos outros do que segurar as nossas.

Porque é mais fácil ouvir o sentimentos dos outros do que falar dos nossos.

Porque é mais fácil julgar do que ser julgado.


Porque é mais fácil por as emoções de lado quando o assunto não é nosso.


Porque malagueta no cu do outro é refresco.

Porque nos falta coragem para olhar para nós mesmo.

Porque não cremos no nosso Eu.


Porque não conseguimos olhar para nós como 2 seres separados,
consciência(espírito) e inteligência(cérebro).

Agora pergunto, se conseguiu ajudar estas pessoas como espera que elas confiem em si se não confia em si mesmo. Se elas confiam em si, significa que merece confiança, significa que tem que confiar em si mesma também.

Desejo


Deseja primeiro a ti mesmo/a,
que os outros também te desejarão.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Pensamento destrutivo



Defino pensamentos destrutivos como aqueles que, por alguma razão, sabendo ou não, o temos para nos fazer sentir em baixo, tristes ou mesmo deprimidos.

Existem muito factores, que no decorrer da vida, nos abala, nos faz pensar sobre nós mesmos, ou alguma situação em que nela participamos como sujeito. O resultado do desenrolar destas situações, muitas vezes acaba por nos fazer de alguma forma sentir uma baixa auto-estima ou mesmo nos fazer imaginar coisas que nos podiam magoar.
Será errado isso?

Não, é humano, mas muitas vezes são estes pensamentos que nos vêm à cabeça e são difíceis de os afastar. Geralmente, quanto mais pensativa e imaginativa a pessoa é, maior é a capacidade de criar este tipo de pensamentos. No entanto, é necessário evitar estes pensamentos, porque nos pode levar a comportamentos de paranóia, principalmente em situações envolvendo relacionamentos. Ter um relacionamento em que se vive em clima de desconfiança é o mesmo que que viver numa prisão.

Uma das várias situações que nos levam a pensar assim tem haver com término de relacionamentos, onde, em geral, nos sentimos rejeitados, trocados, até mesmo abandonados. Também acontece quando estamos sozinhos, e achamos que ninguém se interessa por nós. As vezes surge como uma demonstração de baixa auto-estima, mesmo sobre aqueles que a têm em bom estado, sob forma de pensamento negativos, mesmo sobres as pessoas optimistas.

Difícil é evitar estes pensamentos, contorna-los, apaga-los, o mais importante é saber gerir toda esta situação. Em muitos casos estes pensamentos geram incertezas, desconfianças, suspeitas, em que, geralmente, proporcionam um mau estar no relacionamento da nossa pessoa com os outros.

Não existem segredos, nem formas matemáticas, a não ser aquela que existe dentro de nós, que é pensarmos no que amamos, no que nos faz feliz, no que mais bonito temos no coração. E o principal, o mais difícil, "Não julgar" nem a nós, nem os outros.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Destino

Se deixar todo seu destino
na mão de outra pessoa,
não lamente o resultado.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Emoções


Um dos maiores desafios do ser Humano
é conviver com suas emoções mais íntimas
e conjuga-las com a dos outros.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Baixa auto-estima II


No texto anterior, retratei algumas das várias causas da baixa auto-estima. Um tema vasto por si só, é interminável as questões relacionadas baixa auto-estima e até mesmo os efeitos causados pela auto-estima.

Hoje retrato um pouco de alguns problemas sociais como, criminalidade, racismo entre outros.

Actualmente boa parte de sociedade possui uma baixa auto-estima. Muito desta baixa auto-estima tem haver com o modelo de vida e a forma como o ser humano olha para si mesmo como para outro. Actualmente vivemos numa sociedade em que o importa é o ter e não o ser. Onde o respeito pelo outro é baseado na capacidade de ostentação material e não tanto no carácter da pessoa.
Existem pelo menos 2 tipos de baixa auto-estima, aqueles que se subjugam e os que subjugam. Perceptível :P?! Bom, os que se subjugam acham-se notoriamente inferiores em relação aos outros, os que subjugam, podem separara e vários grupos, mas vou referir-me a 2 em principais, os que subjugam pela imposição da sua personalidade e ou característica física e os que o fazem pela ostentação ou materialismo.

Os que se subjugam sã0 boa parte da população mundial, o que vou dizer poderá causar alguma controvérsia, mas digo que os negros são dos primeiros a encaixar neste perfil. A base de sustento da minha afirmação tem haver na própria capacidade de se vitimizarem, acusando de acto de racismo. Mais complexo ainda tem haver com as situações sociais em que muitos nascem a criminalidade. Neste post falarei dos que se subjugam, para não tornar demasiado extenso e cansativo.

Uma das principais características da criminalidade nas cidades ou bairros designados de pobres ou problemáticos reside já por si só em ter a conotação de bairro problemático. Em geral, não uma exclusividade dos negros, mas tendo em conta o nível sócio-económico destas famílias, são todas acumuladas em determinadas zonas da cidade. Estas pessoas crescem já pensando que não podem ser nada mais para além do que o bairro é, aliás, quando muitos tentam, a conivência social dentro do bairro em si, os ditos "amigos" o vão empurrar e desacreditar em qualquer que seja a ideia inerente à saída daquele meio.

Olhemos com atenção, que, na população negra, mundialmente, tem a maior taxa de mãe solteiras, ou seja, o pai só serve para a concepção, e normalmente têm mais do que uma mulher, até porque o homem negro por natureza tem uma apetência a sexualidade muito promiscua, quando não educado. Ok, sejamos realistas, até mesmo os educados :D. Já a nascença, o facto de não ter uma figura masculina em casa, passa uma mensagem muitas vezes de abandono. Quando uma vez Barack Obama se referiu a maior responsabilidade da comunidade negra, era precisamente a este problema que se referia.

Não ignorando todos factores históricos e sociais associados a esta problemática, já é tempo de uma evolução. É necessário que o negro elimine a cor e encare a si mesmo como ser humano. Existe uma grande tendência em vitimizar principalmente se não consegue alcançar um cargo, assumindo que não o conseguiu por motivo raciais. Muito embora haja algum preconceito, este já não é um factor decisivo actualmente. Na realidade muitos usam a racismo como arma de arremesso para justificar, protegerem-se e até mesmo como motivo de chantagem.

Existe a necessidade de se assumir como Homem, pelo seu valor pessoal e não vitimizar ou até mesmo superiorizar, a palavra de ordem é consciencializar. Recordo bem que em Angola já ocorreu algumas vezes ouvir a expressão:

- "Tás armado em branco";

expressão essa que vem no decorrer de alguma atitude que fora corrigida por alguém e como resposta ou defesa é uma frase típica. Isso revela por si só que em muitos casos as pessoas negras assumem por elas mesmo que o branco é superior, ou pior ainda, é pensar que somente eles, os brancos têm a capacidade de fazer algo que seja correcto, reflectindo a baixa auto-estima como pessoa, assim como um grande falta de educação e consciencialização.

Algo que também me espantou foi um amigo que disse que não poderia namorar com mulher branca porque ela o poderia chamar de "preto" numa discussão. Isso revela uma total incapacidade de aceitar que esta mulher, independentemente da cor/raça gosta dele por ser homem e não pela sua cor ou raça. Isso também revela a incapacidade de olhar para si mesmo somente como uma pessoa.

Se como pessoa não sabe dizer o que vale, de nada vale dizer a que cor ou raça pertence.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Toda vida num flash



Acho que muita gente já ouviu falar que no leito de morte a pessoa costuma ver toda nossa vida passar. Não é um mito. Falando na primeira pessoa, quando aos 8 ou 9 anos estava a afogar-me, por ter caído num precipício na praia, na baía de Luanda, quando já me faltava o ar, vi toda minha vida passar, o meu nascimento, tudo que fizera até exactamente aquele momento. Vi não como primeira pessoa mas como alguém que estivesse a ver um filme, vi-me na barriga e vi-me nascer.

Mas infelizmente, ou felizmente, como em Angola a energia "vulgo luz" costuma a ir "baza" muito frequentemente"bué" quando se está a ver um filme "movie", no meu caso também foi, quando fui subitamente puxado por alguém que nunca vi. O mais estranho é que a praia mesmo estando cheia de gente ninguém reparou no meu afogamento, assim como o meu salvador não se fazer presente.

Mas é verdade, vê-se toda vida num flash antes de morrer.

domingo, 2 de agosto de 2009

O dinheiro

O dinheiro é o produto mais vendido e o preço a pagar muitas vezes custa a alma da pessoa. Exploração, guerras, fome, vem tudo a partir da grande necessidade de se garantir maior quantidade de dinheiro possível, não importando muitas vezes por quem se tem que passar por cima.

Mas o problema não reside no dinheiro em si, mas sim nas pessoas, melhor dizendo, em nós. Porque assim como a serpente tentou Jesus, com luxúria e poder, somos tentados da mesma forma. Quererá isso dizer que não devemos ter uma boa vida? Não, mas podemos ter sem precisarmos de excessos, sem precisarmos ter 1000 a custa que quem 0,001. O problema é que muito de nós precisamos necessariamente de ostentar para nos sentirmos alguém porque ser nós mesmo não sabemos o que somos.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Ó meu Deus!



"Ó meu Deus", esta expressão de apelo, passou mais para uma expressão idiomática. É incrível a quantidade de pessoas que diz que em Deus não acredita, e logo a seguir diz "Ó meu Deus". O mais engraçado é quem diz:

- Graças a Deus, eu não credito em Deus.

ou ainda,

- Ainda bem que eu não acredito em Deus, graças a Deus.

Esta expressão tornou-se tão fútil como actualmente dizer "amo-te", perdendo o sentido próprio do que se quer expressar. Agora percebo porque diz a bíblia para não chamar pelo nome de Deus em vão :).

terça-feira, 21 de julho de 2009

Na vida não há coincidências


Na vida não há coincidências, mas sim há nossa inabilidade de reconhecer a nossa própria necessidade, a nossa incapacidade de ver o que é realmente importante no momento.

O Universo conspira sempre para aquilo que nós precisamos, não necessariamente para o pensamos que queremos, mas sim no que emocionalmente realmente queremos. Muitas vezes porque queremos algo e não o contrário, focamos tanta energia no que não queremos porque temos medo.

Os problemas devem ser encarados como o são, mas não do ponto de vista do problema mas da solução, mas boa parte das pessoas focam somente no problema e desgastam toda energia pensando nele e nunca o resolvendo. O pânico, stress nervosismo são sintomas recorrentes nos dias de hoje para poder resolver situações da vida, que muitas vezes não se constitui um problema, mas sim um medo das pessoas perderem o controlo de situações que na maior parte das vezes este controlo não passa de uma ilusão.

As coincidências só existem para, em geral, aquelas pessoas que têm dificuldade em entender o funcionamento, porque como não sabem como funciona acham que não controlam. Como alguém pode perceber o vasto Universo se não percebe a si próprio?! Como alguém, por exemplo, pode acreditar em Deus se sequer acredita em si próprio?! Na realidade não podem, por isso o mais fácil é desacreditar.

Qualquer quer um pode sair de baixo e chegar ao topo, por bons ou maus meios, mas os que fazem têm uma visão do que realmente querem seguir, e acreditam no que querem por isso é que chegam muitas vezes. É preciso esclarecer algo, e é muito importante se perceber isso

"NEM TODO MUNDO PODE SER RICO, MAS EXISTE ESPAÇO SUFICIENTE NO UNIVERSO PARA TODOS NÓS SERMOS FELIZES"

Pode ser um choque para muita gente, mas é preciso analisar que temos todos as nossas limitações pessoais, pondo de parte o ambiente onde a nossa individualidade se contextualiza, tudo que fazemos terá um resultado, aliás, como velhos ditados, colhemos o que plantamos. Mas a felicidade a todos nós pertence e cabe a nós saber lá chegar. O grande problema é não existir o contacto connosco mesmo o suficiente para sabermos o que nos faz feliz.

"Viver com sabedoria é saber tirar melhor partido das situações ou pessoas que vamos tendo pela frente, elas não estão lá por estar, estão lá porque de alguma forma elas vão precisar de nós ou nós delas."

"Vida é um espelho e vai reflectir o que lhe for apresentado, ser for uma cara sorridente, o reflexo será sorridente, se for triste, triste será."

"A vida é uma matemática dinâmica cujas as nossas várias servem também para fazer os cálculos, por isso escolha bem as variáveis que vai introduzir."

Tente ser feliz pelo que é e pelo que o/a satisfaz.

domingo, 12 de julho de 2009

lirium


Depois de 2 semanas com muito trabalho deixo cá para partilhar o resultado design e desenvolvimento meu.

http://www.lirium.nl

sábado, 20 de junho de 2009

O Soba


Soba, figura pilar de uma sociedade antiga mas que em alguma regiões de Angola sobrevivem a evolução do tempo. O Soba, mesmo muitas vezes não provido de estudo é um personagem de grande inteligência e sabedoria, aliás, das principais características para se ser um Soba de sucesso.

O Soba é o responsável pela aldeia, é quem trata de toda população nesta aldeia, assim como a desenvoltura social do dia-a-dia da aldeia.


O Soba desempenha o papel de pai de todos, irmão de todos, o que lhe dá grande proximidade à sua comunidade. Provido de inteligência da vida, naquele tempo, sim, aquele tempo antigo, eram poucos que possuíam a inteligência académica que está padronizada hoje em dia. Mas, mesmo assim, tinham um conhecimento vasto.

O Soba também era o avô, o contador de histórias e estórias (segundo Michaelis*), muitas delas para dar alguma lição, reflexão, passar alguma sabedoria e muitas vezes só para unir a comunidade.

O Soba era a justiça, resolvendo contendas, intrigas, mal entendidos, entre outras situações de divergência. Sensato e sábio o Soba tenta manter sempre a harmonia.

O Soba é ainda um conhecimento perdido de África, pois muito do seu conhecimento não foi caligrafado, perdendo-se parte da
história, uso e costumes da Mãe África.

* Narrativa de lendas, contos tradicionais de ficção.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Insatisfação



Se alguma vez sentir insatisfação na vida,
antes de culpar os outros,
pergunte a si mesmo se sabe o que quer.


Se não sabe o que quer,
busque,
procure por si mesmo.


Se souber o que quer,
pergunte se faz o que tem que ser feito
para obter o que quer
,
se tem a coragem e determinação para lutar pelo que quer.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Árvore da vida


O Homem só terá flores e frutos
nos ramos da sua árvore da vida,
se lembrar que um dia foi,
arbusto antes de ser árvore,
raiz antes de ser arbusto
e semente antes de ser raiz.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Ser Humano



Não importar de onde e como vem,
só a ele cabe escolher para que veio.
Para onde vai,
já sabe,
mas tem uma vida
para escolher como vai lá chegar.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Sonhar, sonho, sonhador


O sonho muitas vezes é uma visualização do que se quer, para o futuro. É vida, alegria, entre outras sinestesias que um sonho nos pode proporcionar.

O sonho como uma perspectiva de vida, é algo que todos ou quase todos nós ansiamos para nossa vida.

Mas do que sonhar por si só, pode ser a realização dos sonhos, onde tudo se torna realidade, onde as coisas se materializam.

Para muito sonhar só não basta, é necessário realizar, para outros aquela realidade só lhe sabe bem como sonho.

Muitos frustram sentados pela não realização dos sonhos, e outros frustram lutando para a realização de um sonho.

Muitos nos dizem;" Quer sonhar, vai dormir!", enquanto outros nos impulsionam para a realização de um sonho.

O sonho é um desejo
do que se quer,
por meio de uma viagem do
inconsciente consciente,
onde se transporta todas
sinestesias ao corpo,
para o tornar mais
real possível.

Cabe agora a nós avaliar e lutar por ele.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Auto-estima I



A auto-estima é um problema que afecta boa parte da população, na maior parte das vezes, nem mesmo aquele ou aquela, que por obra divina, aparenta ter uma boa auto-confiança, por ter alguma característica que nós desejaríamos ter em nós mesmo, pode ser um engodo, porque provavelmente terá algo que ele próprio não gosta e gostaria de ter algo que temos.
Raiz do problema!? Infância na generalidade.

Factores que influenciam?! Aspecto físicos, psicológicos, em resumo, diferenças entre a nossa pessoa e um outro grupo de pessoas. Por incrível que pareça, um inteligente no meio de um grupo de "menos inteligentes" pode ser um factor de discriminação ou auto-descriminação. Muitas vezes confundimos aquelas pessoas que se elogiam em demasia como sendo pessoas confiantes, ou até muitas vezes convencidas. Estes excessos boa parte das vezes são consequência de uma baixa auto-estima.

A auto-estima pode também ser muitas vezes afectada, quando gostamos de alguém e posicionamos esta pessoa acima de nós próprios. É comum e muitos amores platónicos, em que se está interessado em alguém mas não se tem coragem em partir para luta, por achar que não somos suficientemente bons para esta pessoa.

Pessoas com baixa auto-estima e que pretendam mudar, têm que aprender a ser amigos de si mesmos e isso passar por conhecer a si mesmo.

Um dos erros que comentem está em tentar conhecer a si próprio através dos outros. Uma forma de se conhecer passa por escrever sobre si mesmo, escrever sobre o que gosta e o que não gosta. Para este problema, muito procuram psicólogos, terapeutas, etc, na esperança de encontrarem a solução neste profissional, mas esquecem que mesmo ele só pode ajudar se fizermos o trabalho interno, porque ele só nos orienta. E aí reside o maior tabu, que é, mexer nas dores ou cicatrizes passadas. A aceitação de que o passado passou, e que é necessário o nascimento de um novo eu, saber os próprio defeitos e qualidades, em resumo aprendizagem e aceitação de nós próprios, trabalhando no que precisamos de melhorar e aperfeiçoando já está bom, são passo que todos devemos seguir numa determinada época da nossa vida.

domingo, 12 de abril de 2009

O homem moderno


Uma reflexão ao homem de hoje. Com o evoluir do tempo, a nossa sociedade actual é um resultado das varias mudanças, efectuadas por todos nós, homens e mulheres. Actualmente, com a mulher assumindo um papel mais independente na sociedade actual, o homem tem que se adaptar à nova realidade, não só em relação à mulher como em relação a si mesmo.

Anteriormente o homem manifestava o seu poder sobre a mulher de forma financeira, ou até mesmo o facto de ser homem o dava uma posição favorável na sociedade. A mulher de hoje se assume mais independente, dona do seu próprio destino, dona do seu poder económico. O homem de hoje não conseguirá manter uma mulher simplesmente pelo facto de ser homem ou por deter todo poder económico, a não ser que ela assim queira.

Com estas mudanças todas, vem a seguinte questão, como consegue manter ele, o homem, não perder o papel de "Macho"? Bem, a mulher de hoje o que busca é um companheiro no homem, alguém a quem ela possa encostar a cabeça e partilhar. O homem precisa evoluir aceitando que mulher nenhuma se prende somente por dinheiro e sexo, até porque são demasiados voláteis. O homem actual tem que aprender a ser companheiro e amigo, pois estas marcam uma diferença enorme, deve representar para mulher o lugar seguro para esconder, chorar, cantar, sorrir e desabafar. Sexualmente a mulher está mais exigente, porque, em geral, tem mais conhecimento do que é obter prazer, assim como maior abertura a falar no assunto. O homem tem que deixar ser egoísta

Para si mesmo, o homem, como ser que é, tem um grande desafio neste momento, algo que a muito lhe fora suprimido devido ao estereotipo de ser "Homem". A maior evolução do homem neste momento é aprender a lidar com a suas próprias emoções e principalmente aprender a mostra-las.

O facto do homem muitas vezes não demonstrar emoções, desgostos, tristezas, amor, entre outros, o faz ter comportamentos muitas vezes contraditórios em relação ao que realmente sente. A compreensão das próprias emoções o irá ajudar a tornar-se mais consciente de si. mesmo. Um dos maiores problemas é a aceitação das suas emoções a nível social, porque estas, quando expressas a frente de outros homens, muitas vezes é encarada como fraqueza. Ao contrário do que se passa na tv, o homem moderno não será baseado em tecnologia, mas sim no controlo da sua parte emocional, espiritual e nível de consciência.

O aumento do nível de consciência fará que o homem se interiorize mais com a própria natureza, tornando-o menos hostil ao meio onde vive, o aumento da espiritualidade o tornará mais tranquilo e mais sábio nas decisões a serem tomadas.

Jesus era um homem moderno em toda sua plenitude.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Bênção ao amor


Depois de uma viagem de férias a Granada, Espanha, tive mais uma vez a possibilidade de ter outras experiências.

Quando muitos não acreditam mais no amor, eu vi que vale sempre à pena. Vi não só na minha perspectiva, mas também nas imagens de quem teve coragem e mudou a sua vida, local, amigos, para viver quem ama, num contexto totalmente diferente, numa cultura totalmente diferente, onde cada um tenta a convivência, como dois porcos-espinho que pretendam dormir juntos e precisam de adaptar os seus espinhos para não magoar o outro.


São pessoas corajosas, porque têm a coragem de pisar um caminho desconhecido, por alguém que querem para toda a vida.

Bênção ao amor.

Medo do futuro

sexta-feira, 27 de março de 2009

Técnica de comunicação II


Muitas vezes é necessário fazer entender o nosso ponto de vista aos outros, mas nem sempre é fácil passar a mensagem, boa parte das vezes as pessoas estão a exprimir as mesma ideia de forma diferente e discordando em alguns pontos.

Quando estiver nesta situação, comece sempre pelos pontos de concordância, tenha sempre a certeza que do outro lado perceba que afinal também concorda com ele e que estão na realidade a trabalhar para chegar ao mesmo destino, mas somente a tomar percursos diferentes. Disseque as vantagens de um percurso e do outro, focando sempre no lado positivo de ambos, mas diferenciando entre o "bom" e "muito bom".

Variáveis da vida



Se tentar controlar todas variáveis da vida, poderá ter certa segurança, mas a vida nunca lhe surpreenderá, pois deixará de ser variável para ser estática.

Se não disponibilizar as variáveis do amor na sua vida, ninguém poderá passar o valores que farão despertar o amor.

Se não estiver atenta/o as variáveis de quem se aproxima de si, nunca saberá os valores que esta pessoa poderia passar para suas variáveis.

Se valorizar mais a variável da tristeza do que da alegria, triste a sua vida será.

Se somar os pequenos valores das variáveis que lhe fazem levantar todos os dias, poderá ser um bom factor para multiplicar pela variável felicidade.

Se for sábio/a a gerir as variáveis que de nós não dependem totalmente, dando o factor de importância e urgência certo, caminhará para uma vida em equilíbrio.

quinta-feira, 26 de março de 2009

No teu olhar


Nos teus lábios,
hoje,
vi felicidade,
escrita por um lindo sorriso,
mas no teu olhar,
vi Paixão,
ardente como sol.

---//---

In uw lippen,
vandaag,
Ik heb geluk,
geschreven door een mooie glimlach,
maar in uw ogen,
Ik zag Passie,
zoals brandende zon.

---//---

En tus labios,
hoy,
Vi la felicidad,
escrito por una bella sonrisa,
pero en los ojos,
Vi la pasión,
como sol ardiente.

---//---

In your lips,
today,
I saw happiness,
written by a beautiful smile,
but in your eyes,
I saw Passion,
as burning sun.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Amor e o homem



Amar alguém definitivamente é algo que todos queremos, mas que antes requer ter conhecimento de nós mesmo, do nosso próprio eu. O nosso parceiro ou cônjuge tanto pode ser alguém que nos põe no topo da mais alta felicidade, como alguém que nos enterra na maior das depressões.

Amar alguém sem conhecimento do que se é, sem se amar a si mesmo, leva muitas vezes com que as pessoas depositem tanto na outra pessoa, que nada resta para elas mesmo quando este relacionamento termina. Antes da procurar por uma alma gémea, é necessário fazer a procura por nós mesmo, até porque como saberá da alma gémea se não se conhece e sequer sabe o que quer.

Mais difícil ainda é a aceitação da busca interior, porque em geral muitos têm medo de se confrontarem com consigo mesmo, com o que sentem, medo, receios e até mesmo personalidade. No entanto é passo importante para que se possa estar sólido. Pode parecer insegurança ou medo, pois muito acreditam que deve se dar todo amor que se tem. Vejamos, amor é vida e vida é amor, no entanto se der todo seu amor a alguém, inclusive o amor próprio, significa que está a dar a própria vida a essa pessoa e se ela se for embora nada mais lhe resta. Significa isso que não nos devemos entregar ao amor, entregar a vida? Não.

Amar alguém não é depender desta pessoa, já lá foi o tempo que era assim por questões sociais, financeiras, entre outras. Actualmente só se for escolha da pessoa. Actualmente amar, é como partilhar energias, dar tanto quanto se recebe, é a partilha da vida e consequentemente do amor, dado pelos os 2 e não simplesmente por um lado.

Reconheça quem é, antes de procurar por outra pessoa. Principalmente a quem se apaixona à primeira vista, é necessário lembrar que muito daquela paixão é algo fictício, porque pode não retratar o que a verdadeira pessoa é, ver alguém, é totalmente diferente em conviver com a mesma pessoa no dia-a-dia, no íntimo.

Descubra a si mesmo e descobrirá o outro.

Devido a uma conversa no msn com um amigo vou esclarecer algo:

"Dar a vida por alguém é diferente de dar a vida a alguém."

sexta-feira, 20 de março de 2009

Transição de estado


A pouco tempo descobri que algo que costumo fazer, antes de chegar a casa, fora citado num livro. Confesso fiquei espantado porque para mim sempre foi algo banal o que me causou impressão que se tivesse escrito num livro e dado tanta importância. Tem haver com a transição de estado emocional da rua para casa por exemplo.

Desde dos 8 anos que estudo comportamentos, um dos mais recorrentes comportamentos é a chegada a casa depois do trabalho, em que cada pessoa trás o seu stress. É o cansaço, o patrão é chato, os transportes, a barulheira da rua. O mais comum é chegar a casa irritado, zangado, e descarregar com as pessoas que supostamente amos mais (mãe, pai, filhos, mulher, seja quem for).

Pensemos o seguinte....., só porque o patrão nos paga não podemos manda-lo à M*, acumulamos irritação e descarregamos nos nossos filhos, ou seja lá quem for que esteja intimamente ligado a nós.
Quando chego a casa, e quando nela está alguém a passar um tempo comigo, visto que vivo sozinho :), antes de entrar tiro um tempo sozinho na rua, sentado, ou entro para o meu quarto durante algum tempo mantenho-me lá, e vou fazendo as minhas coisas, até que toda tensão repouse, e só a partir daí é que parto a perguntar a todos como foi o seu dia. Este momento de pausa é o que chamo "Transição de estado".

Quando por exemplo estou em casa dos meus pais, já que não dá para entrar e não falar com ninguém, fico no carro, deito o banco de trás e ponho numa posição de relaxamento, mãos na cabeça e música calma.

A uns meses atrás tive uma experiência interessante, quando fui acompanhar uma prima a casa de pessoas desconhecidas. Era uma família africana, modesta, em que o marido trabalhava na obra, a mulher tinha acabado de ter bebé, com um filho mais velho. Chegou aquele senhor, que vindo do trabalho, esboçava um grande sorriso, e começou a sua entrada em casa, dizendo:

- Boa noite, para todos as mulheres, todas as mulheres estão lindas, a mulher da minha vida está linda! - beijando a esposa.

- E como está o bebé?- perguntou ele. pondo-o no colo e brincando com ele.

No mesmo instante eu comentei com a minha prima que aquilo era algo extremamente raro de se observar.

No caso da mulher é mais complicado, porque em geral acarreta as responsabilidades da casa, mas as vezes é uma questão de organização, faça um diagrama temporal e de prioridades, a mulher é muito boa nisso e vê o que deve tratar primeiro. Mas se tiver as coisas organizadas pode sempre tirar antes de fazer tudo um tempo para si, depois de chegar a casa, sente-se um pouco, habitue os filhos e o marido a fazerem o mesmo quando chegam a casa. (assim também não chateiam durante este período )
, verá que a disposição será melhor.

Também importante dizer, sempre que estiver de mau humor, diga ao seu parceiro/a, ele ou ela não têm que ser um saco de pancadas, e se somente fizer silêncio ficará preocupado/a.

Fale o menos possível,e o parceiro, não faça muitas perguntas, deixe que se acalme, afinal todos nós temos que ter o nosso espaço mental, no final provavelmente irá ter consigo e contar o que se passa :).


terça-feira, 17 de março de 2009

Técnica de comunicação I



Por sugestão do Paradoxo que tive muito gosto de conhecer pessoalmente, decidi escrever sobre uma técnica de comunicação.

No nosso dia-a-dia é comum irmos a repartições públicas, onde queremos ser bem atendidos e ajudados no problema ou situação que para lá nos fez deslocar. É mais comum ainda, sentarmos e desbobinarmos todo nosso problema a frente daquela pessoa, no intuito de sermos ajudados mais rápido possível. Ora eu sugiro uma abordagem diferente, e que tem como resultado maior disponibilidade de quem está a atender em ajudar, logicamente, esta técnica não funciona a 100%, pois depende um pouco do estado de espírito e sensibilidade da pessoa que está a atender e quem a aplica.

O que proponho é os seguinte:
  1. Antes de se sentar, esboce um sorriso e cumprimente com um sorriso; não interessa se está ou não bem disposto.
  2. Não comece por expor o seu problema, pergunte a quem está a sua frente, como está a correr o dia, frases simples como; "Como está a correr o dia, muito trabalho não é?", ou frases que demonstrem a compreensão pelo trabalho desempenhado pela pessoa; "Vocês têm tanto trabalho, atender tanta gente"; ou ainda elogiar o dinamismo ou o trabalho da pessoa. O elogio ao dinamismo da pessoa tem como efeito fazer sentir que alguém realmente está a ver o esforço, e como contrapartida, esta pessoa quererá dar a melhor resposta a situação que lhe for apresentada, para que possa continuar a merecer o elogio.
  3. Não toque no assunto que lhe levou a sentar-se no balcão até que o funcionário pergunte: "No que lhe posso ajudar" ou algo semelhante. Esta pergunta é o que dá a luz verde a expor a sua situação. Na forma mais comum de abordagem, em que todo usam, temos um cliente e um empregado que se sente da obrigação de o atender, com esta abordagem o papel é diferente; pelo facto de ser o próprio empregado a disponibilizar a ajuda, todo sentido muda, pois deixa de sentir como uma obrigação de empregado para cliente, e passa para alguém disponibiliza ajuda para alguém que precisa de ajuda. Neste último sentido, fará com que quem esteja a atender desdobre-se para satisfazer a expectativas de quem precisa de ajuda.
  4. Não fale nunca alto, e não gesticule quando estiver a falar, isso cria um cenário de stress, fale com voz localizada, ou seja, fale somente para a pessoa. Transmitir calma a quem lhe atende vai ajudar também que essa pessoa saiba controlar o tom de voz e a maneira como o vai receber.
  5. Nunca tente falar por cima de quem lhe atende, mesmo que discorde, deve utilizar palavras tais como; "certo", "compreendo", "pois é", "com certeza". Lembre-se sorriso nos lábios
  6. Se por alguma forma for negado a situação, não desate aos berros, faça sempre a pergunta para uma solução alternativa, tais como; "e como posso resolver o meu caso", " seria possível indicar-me uma alternativa", "não podia fazer o favor de me indicar uma alternativa". Estas frases farão com que o funcionário não queria somente despachar sem pensar um pouquinho mais a fundo numa possível solução para o seu problema.
  7. Nunca esquecer, de agradecer pela ajuda, mesmo que não tenha ajudado, pode precisar de lá voltar, boas frases para além do comum "Obrigado" são: "obrigado pela sua disponibilidade", "obrigado pela ajuda" (Não tão bom, muito corriqueiro), "agradecido pela delicadeza" (mais pomposo, principalmente para dizer a mulheres).

quarta-feira, 11 de março de 2009

Os meus defeitos

Nada melhor que a data do meu aniversário 11 de Março, para falar dos meus defeitos. É uma reflexão sobre mim mesmo, uma incidência da luz de palco sobre mim mesmo. Comecemos:

  1. Não festejo os meus aniversários; desde que me tornei dono de mim mesmo.
  2. Não lido bem com elogios; e já melhorei um pouco.
  3. Não me acho bonito; embora não me afecte a auto-estima.
  4. Sou hiperactivo; não é bem defeito, mas as vezes é demais.
  5. Faço sempre várias coisas ao mesmo tempo; até curto esta parte senão, dormia.
  6. Durmo nas aulas; é verdade, é difícil as vezes manter-me acordado em certas aulas.
  7. A minha confiança as vezes assusta-me; as vezes simplesmente sinto-me intocável.
  8. Dificuldades em assentar nos relacionamento; boa parte não porque não quero, mas por causa das circunstâncias da vida.
  9. As vezes ressono; não sei dizer quantas, porque não me oiço, hehehe, só para dar sinal a quem estiver ao lado que estou vivo :P.
  10. Adoro estar sozinho; tenho trabalhado nisso, um amigo meu disse que seria capaz de viver sem ter ninguém no mundo; e seria, mas agora já não, Graças a Deus.
  11. Sou extremamente sensível ao estado de espírito das pessoas, principalmente das que de alguma forma me interessam.
  12. A minha cabeça é demasiada complexa para eu conseguir explicar determinadas coisas; isso porque tudo nela tem um medida emocional, e esta é difícil explicar a escala.
  13. Tenho dificuldades a dormir; não importa quanto o corpo está cansado, a minha mente as vezes está demasiado desperta a criar ou pensar.
  14. Não consigo cantar nem tocar alegria; vida, drama, melancolia, e tristeza são melhor retratados por mim do que alegria, no entanto, a minha vida não sou assim, na realidade, canto o sentimentos que já senti dos outros.
  15. Tarado e perverso; hummm, epa esse não faço questão de mudar, já é de família.:D
  16. Posso falar pelos cotovelos como passar dias sem abrir a boca; as vezes é difícil, as pessoas mais próximas perceberem porque estou em silêncio, e as mais distantes acharem que nunca me calo.
  17. Embora seja muito calmo e sereno, por dentro controlo uma fera.
  18. Não suporto andar muito tempo em grupos de pessoas; agora já suporto melhor em determinados grupos de amigos, mas tenho tendência a isolar.
  19. Sou incapaz de voltar para algum relacionamento depois de ter terminado; confesso que não sei porquê.
  20. Consigo ver ou saber coisas que até me magoam mas não falo.
  21. Todo relacionamento com pessoas tem um hierarquia para mim, na qual cada um tem um papel e nesse papel permissões de como eu deixo esta pessoa tratar-me e aquilo que aceito fazer por esta pessoa; é um pouco chocante.
  22. Trato muito bem quem namora comigo, mas se esta pessoa for tocada por outra enquanto estiver comigo, já não a conseguirei tocar; bem isso talvez explique não conseguir voltar, mas acho isso muito estúpido, só que ultrapassa o meu racional.
  23. Muito relaxado as vezes; as vezes simplesmente sei que determinada coisa é para ser minha, quer faça algo ou não, então relaxo.
  24. Não acredito no amor a primeira vista.
  25. Embora não pareça, sou uma pessoa muito fechada.
  26. Sou muito auto-crítico; nota-se hehehehe.
  27. Pareço que nunca dou atenção quando falo com alguém porque estou sempre a olhar à volta; reclamação de 3 namoradas, é preciso dar credibilidade :P.
  28. Demasiado apegado ao meu próprio espaço e minhas coisas.
  29. Sou muito desconfiado, para mim certas acções têm que ter um porquê sempre.
  30. Penso em demasia para certas coisas, não me deixo levar facilmente.

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...