quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Críticas


Normalmente preocupamos-nos com críticas com que criticamos os outros.

Mas muitas vezes a real importância da crítica só está na nossa crença.

sábado, 24 de novembro de 2012

Em busca do que não temos


O ser Humano tende ir à busca o que não tem. Se a mão esquerda estiver cheia, ele olhará para a mão direita vazia, lamentando por esta estar vazia.

Na verdade, este é um programa que corre no nosso cérebro, e que muita gente não dá conta. Aliás é este programa que nos faz os consumidores e dependentes que somos hoje. A crescente necessidade de mais e mais e mais, mais, mais................ufa, torna-nos pessoas que não importando o que tem estará sempre a olhar para o que não tem.

Existem pessoas que constantemente reclamam da sua vida, que olham sempre para o quintal do vizinho achando que o dele é sempre melhor do que tem em sua própria casa. Estas pessoas nunca parecem estarem satisfeitas,  estão constantemente a correr atrás do que não têm.

Para ter mais, deve valorizar o que já tem, deve lembrar-se do que já conquistou.

A amor e paixão do caos e desordem


Existem relações que são basicamente caóticas, não pelo facto de existir necessariamente desacordos mas pela falta de suposto "padrão" de relacionamento.

Muitas vezes a paixão por alguém aparece precisamente por esta pessoa ser exactamente o nosso inverso. É comum, quando um dos membros do casal é muito estruturado, o outro é de pensamento livre e caótico. Muita gente não compreende, inclusive os próprios porque motivo esta ligação funciona e é tão forte.

O que acontece na realidade está tudo relacionado com emoções. O namorado ou namorada normal, a relação cresce baseado num modelo quase premeditado "quase boring", tudo calculado, pré-visível, e por aí se vai desenvolvento uma relação. Esta relação eventualmente cria habituação ou dependência, que muitas vezes é confundido com Amor.

Nos casos caóticos, a beleza está exactamente não saber como será amanhã, não há programa, e a montanha russa de emoções muitas vezes são extremas saindo das mais baixas para as mais altas em questões de minutos. Por incrível que pareça, muitas vezes quanto mais a cônjuge retirar o outro do sério, mais paixão este terá. Quanto mais o fizer extravasar, rir, correr, assustar mais colado fica. A estratégia de dualidade de emoções, leva a um conflito tanto de emoções como de lógica. Existem vários exemplos, como a dor e o prazer, o quente e frio, discussão e sexo,  todas e várias combinações de diferentes sinestesias, provocam um conflito tal que faz com que a pessoa fique literalmente apaixonada.

O facto de não saber como será o próximo encontro, provoca um ansiedade, e está muita vezes tornam-se numa dependência, pois vive-se uma relação com muitos estímulos. E esse hábito muitas vezes cria demasiada expectativa sobre o parceiro e quando não correspondida pode criar atritos e estragar relação.

A verdade é que as pessoas que são caóticas nos relacionamentos, normalmente proporcionam ao parceiro mais vida, aventuras, jogos, dramas e tragédias, retiram o outro da zona de conforto, expondo-o sobre vários tipos de emoções. E este sobe e desce de emoções faz com que poucas horas com essa pessoa parecem semanas, pois elas aumentam a experiência do que é viver, pois vivem de forma intensa.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Equilíbrio e a força interior.



A autora deste texto pediu-me que postasses no blog, desta forma partilho com todos.

Muitas vezes nós esquecemos da importância de encontrar o nosso equilíbrio e a força interior. Quando a nossa vida está em aguas calmas, dificilmente estamos conscientes se nós falta ou não o equilíbrio. Isto só nós apareça quando a vida se torna difícil.

Sem entrar em muitos detalhes, eu própria me encontro numa situação em que a vida se me tornou difícil. Obviamente, a palavra difícil é muito subjetivo, e não iria significar a mesma coisa para todas as pessoas. Na minha situação, uma primeira gravidez com complicações, estando longe do pai da minha filha, redescubro a importância de encontrar o meu equilíbrio e a minha força interior.

Note que menciono sempre os dois em conjunto, porque na minha opinião eles vão de mão em mão. Desenvolvendo a força interior vai facilitar encontrar equilíbrio e o equilíbrio por sua parte, promove a força interior.

Nestes momentos difíceis, a companhia de entes queridos nós pode dar uma grande ajuda, mas nunca se esqueçam que tudo isto é fútil se não estamos bem com nós próprios. Por outro lado, uma pessoa equilibrada e na sua força, nem precisa de muita pessoa para passar por tempo difíceis.

Eu acredito que a vida me deu esta oportunidade para entrar numa nova dimensão do meu desenvolvimento pessoal e do meu relacionamento com o meu parceiro. É importante centrar-me e acalmar a cabeça, porque vamos ser sinceros, a cabeça pode ser um poço de veneno para o nosso bem-estar!

Eu haverei de encontrar a minha forma de entrar em contacto com a minha força interior e fortalecer o meu equilíbrio. Poderia dar monte de exemplo como eu acho que vou fazer isto, mas na realidade ainda não sei. A chave deve estar na nossa intuição. Ouvir a nossa voz interior. Não estou com a intenção de lecionar-vos, mas sim convidar-vos a entrar neste processo comigo. Porque quanto mais seres no mundo em equilíbrio e na sua força, mais equilibrada a consciência universal. Assim podemos dar mais um passo para o novo mundo.

Ainda gostava de referir às últimas profecias de Celestina, digo últimas, dado que acredito quem leia este texto, já entendeu e incorporou os primeiros quatro na sua vida:

5 – A única solução é cultivar uma conexão pessoal com o divino, uma transformação mística que nos enche de energia e amor ilimitados, aumentando nossa percepção da beleza e proporcionando auto-conhecimento.

6 – Neste conhecimento podemos liberar nosso controle e descobrir uma verdade específica, uma missão: estamos aqui para levar a humanidade a um novo nível de realidade.

7 – Em busca dessa missão, podemos descobrir uma intuição interna que nos mostra onde ir e o que fazer. Se nossas interpretações forem positivas, perceberemos várias coincidências que abrirão as portas da nossa missão.

8 – Quando várias pessoas entrarem nessa corrente evolucionária, sempre doando energia para as pessoas que encontrarem, construiremos uma nova cultura onde os corpos evoluem para um nível mais alto de energia e percepção.

9 – Neste caminho, participamos de uma longa jornada desde o Big-bang até o último objetivo da vida: energizar nossos corpos, de geração em geração, até encontrarmos um céu que possamos ver finalmente.

Quem viu o filme A Profecia Celestina, viu que quando descobriram a nona profecia, a energia de duas pessoas se complementou e aumentou. Mas até chegarmos lá, teremos de começar com a nossa própria energia. Qualquer situação nós permite desenvolver pessoalmente, não esperem até a vida vos obriga.
Abro o meu coração e dou o bem-vindo a todo ser que me quer acompanhar neste processo.

Autora: Marinka Papeleu

sábado, 27 de outubro de 2012

Pessoas inresponsáveis


Existem pessoas que tendem a não assumirem responsabilidade pelo seu próprio SER. Estas pessoas normalmente tendem a vitimar e arranjar sempre um culpado exterior para o seus males. Muitas vezes são pessoas perigosas, pois em algumas situações criam mentiras somente para poderem livrarem-se da responsabilidade de assumirem seus próprios erros e defeitos. 

Isso faz com que a convivência com estas pessoas deva ser cautelosa, principalmente se tiver a capacidade de discernir estes aspectos na pessoa. Isso porque intuitivamente essa pessoa não gostará de si, e fará de tudo para a/o afastar, pois de uma certa forma vê que se consegue ver o seu interior.

Cuidado com elas, manipulam tudo a sua volta para garantirem a sua posição de vítima.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Coragem

A coragem é muito associada a ausência de medo. Na realidade a coragem é como tantas outras coisas que são duais, não pode existir coragem sem medo.

SÓ O AMOR INCONDICIONAL NÃO É DUAL

Nós consideramos um Homem corajoso, alguém que enfrenta os considerados grandes medos pela humanidade. Lutar na guerra, enfrentar uma situação de perigo, etc. Ainda assim, buscamos sempre alguém que corresponda a nossa percepção de herói. Alguém que usamos como sendo um exemplo e supomos muitas vezes que estes, nada temem, nada os aflige.

Este tipo de percepção é criada para afugentar os nossos próprios medos, mas também PARA os JUSTIFICAR. Porque sempre podemos dizer ao nosso herói que o caso dele é diferente do nosso porque ele NÃO TEM MEDO ou É CORAJOSO.

De todos os medos, o maior medo, a nível humanitário é o AMOR, numa sociedade baseada no MEDO. O abraçar do AMOR significa deixar as defesas de lado, as quais estamos tão habituados. É ficarmos no vazio absoluto e nos sentirmos cheios, sem necessidades de defesas, protecções. Esta emoção é particularmente assustadora pois, existe um AMOR MEDROSO que vivemos constantemente a qual se AMA com medo que termine, com necessidade de promessas constantes de AMOR para alimentar medos e inseguranças próprias.

Muitos não abraçam o AMOR pelo MEDO da sua incerteza, principalmente porque tendem a alojar o amor NOUTRO SER, EXTERNO a SI MESMO.

A coragem também tem muito a ver como olhamos para nós mesmos, e nós no mundo, com  energia que emanamos, pois a forma como nos vemos determina muito a nossa segurança, o nosso AMOR PRÓPRIO.

TENHA CORAGEM E AME A SI E AOS OUTROS.

sábado, 13 de outubro de 2012

Desespero por afecto


O desespero por afecto vem falar um pouco das pessoas que são desesperadas por afecto.

Como sabemos, pessoas distintas têm formas diferentes de sentir. O afecto está muito relacionado com a forma como gostamos de ser tratados e também de tratar os outros. É notório na nossa sociedade a diferença entre os homens e mulheres neste aspecto, sendo as mulheres muito mais afetuosas que os homens. Tirando as questões sociais, que de certa forma torna o homem pouco afetuoso, o que quero retratar está mais ao nível interno.

A carência afectuosa pode ter normalmente duas origens, cármicas ou infância. Por este motivo nem todos pessoas têm tanta necessidade de afecto, tanto homens como mulheres. Muitas vezes, a necessidade de afecto está relacionada com medos e inseguranças da própria pessoa. Isso também explica porque motivo maioritariamente as mulheres são mais afectuosas que os homens, dado que são as mulheres consideradas mais inseguras que os homens. Digo "considerado" porque não é realmente verdade, o que acontece é que homem tem uma forma diferente de manifestar insegurança, pois também esconde muitas vezes o que sente.

Este desespero por afecto está relacionado com o medo de ficar sozinho/a. Na realidade estas pessoas sabotam a si mesmas, pois focam a energia toda na proteção contra o medo, ao invés de investirem a mesma em encontrar o amor

No mundo espiritual, existem almas que vieram para aprender o NÃO  e outras o SIM. Muitas vezes a lição é precisamente soltar, soltar este MEDO e DESESPERO para evoluir. Após a libertação destes pesos todo o resto se aproxima.

Muitas pessoas tendem a acumular mágoas por cada relacionamento que passam, o que faz aumentar ainda mais a ansiedade e desespero. Algumas vezes o desespero é tão grande, que na nova relação quase pedem um papel assinado pelo parceiro/a com promessa que nunca  deixará. O MEDO gera MEDO, logo este tipo de atitude normalmente condiciona o relacionamento, fazendo com que muitas vezes o parceiro tenha receio de entrar com profundidade no relacionamento. Este medo ocorre mesmo quando o parceiro está muito apaixonado.

É preciso praticar o controlo deste medo, soltar a necessidade de controlo sobre, e vivênciar cada relacionamento como uma experiência, sem carregar as mágoas associadas ao términos.

Nos novos relacionamentos é necessário conter a ansiedade, deixar os medos do passado no passado, vivendo o presente. É importante que cultive a auto-estima, e o amor próprio.  Não é facíl.... mas quem disse que AMAR  é fácil.







terça-feira, 25 de setembro de 2012

Transformar alguém


Antes de querer transformar alguém/algo, transforme a SI mesmo primeiro, ao transformar a si mesmo, transformará o RESTO.

domingo, 26 de agosto de 2012

Nos dias de hoje


Sinto-me um pouco triste e revoltado quando observo a minha volta a falta de consciência que existe nas pessoas. O primitivismo está de tal modo que já não existem valores a serem respeitados. A cada dia que passa há cada vez menos respeito por  si mesmo como pelos outros.

Nos dias de hoje, o que era de baixo nível é o que todos querem usar, o professor é o inimigo, a TV para tudo usa o sexo para vender. Como canais da TV brasileira que exibe mulheres como lata de desodorizante, depois como é que não passa imagem errada da mulher, como muitos estrangeiros pensam?.  Acho que é uma pena que as mulheres se tenham deixado tornar um produto consumível como um lata de cerveja, e que o homem se tenha tornado tão fútil que seja isso que lhe chame mais atenção. De facto vivemos tal como os répteis, com os nossos instintos mais primitivos e carnívoros.

Tal qual como bíblia diz, e que as vezes penso que não é uma visão do futuro mas sim um plano traçado, estamos no tempo em que o assassino mata e diz que ajudou,  que achamos certo que para fazermos paz temos que fazer guerra. O Homem é valorizado pelo que tem não pelo que é no seu interior. 

Existe um grande inveja de certo extracto social,  não a nível financeiro, a nível de berço, valores, princípios, educação que estão em decadência, e a TV é a principal motivadora disso tudo. Filmes, séries, cultivam o ódio por quem sabe, por este motivo é que quem é gozado não é o mau alunos mas sim o bom aluno, ou professor que quer ensinar. O nível é preocupante porque muitas pessoas não têm berço. O ter berço vem de ter uma educação, postura, moral, respeito, amor próprio e pelos outros. Faz tudo parte de um bom berço.

Como se aceita que na TV mostre uma modelo a limpar o chão com a camisa da equipa adversário porque ela apoia a outra equipa de futebol. São essas coisas que motivam exactamente as lutas, agressões animalescas que ocorrem nas partida de futebol. Agora imagina, o seu filho ver isso de uma pessoa que supostamente a TV diz que é famosa. São esses e essas FDP quem trazem as suas agendas malignas para passar aos outros que isso é normal.

Assim como as "Pussy Riot" em que muitos jovens apoiam, sem ter noção sequer do que está por detrás desta gente, satanás. São todos satânicos assim como os que os apoiam. Estes jovem vêm sendo vendidos por várias TV ocidentais como se o que ele fizeram é correcto, pois estes sabem muito bem a quem servem. Essas gajas (e no sentido pejorativo mesmo) são pagas e compradas para fazer estes tipos de encenação, assim como os seus apoiantes. Pois deviam levar mesmo umas chibatadas para ganhar juízo BESTAS.  Actualmente misturado com político, advogado também é o jornalista, que mente, mente, fabricando notícias, argggghhhhh.

É um grande perigo, hoje em dia todo inútil quer aparecer e ser famoso, e tornar as suas orgias em algo natural, porque a ideia é destruir o respeito próprio. Com a diminuição da igreja, estes agora sentem-se livres para em plena TV exibirem as suas gratificações a seu mestre FDP.  A quantidade de falsário, promovidos no Cinema, séries, músicas já dá nojo.

Temos jovens a fazer o sinal do diabo, dizendo que é do rock, santa ignorância, não têm sequer noção no que se estão a meter. De onde acha que vem boa parte das instabilidades emocionais que estes têm?

Infelizmente até as próprias religiões que deviam ser de DEUS estão assolada de pequenos diabos chupistas, que as criam para consumo da energia vital dos outros. Estamos rodeados por pessoas sem amor pelos outros, só amor pelo dinheiro, pessoas corruptas mas que se apresentam sempre como benfeitores, mas o pano terá que cair.

Tudo isso acontece por nossa culpa, pois deixamos de ser nós para ser o que os outros dizem, pois deixamos que a nossa liberdade fosse comprada com comodismo. E hoje, somos sugados, para uma podridão, usando figuras que nos fazem tomar como referência, para seguirmos os seus comportamentos.
Tomem bem atenção no que as crianças vêm na TV, eles estão em todo lado até nos desenhos animados.


Não acordem não, e verão aonde vão cair.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Arrependimento | crescimento



Grande post este Arrependimento - Paradigmas rotos. Compreendo bastante o que escreveu, gostaria de partilha uma outra visão do mesmo, sem intuito de querer corrigir ou de alguma forma criticar, simplesmente partilhar.

O arrependimento pode ter dois bicos. Dos que se arrependem porque de facto atingiram o nível de consciência elevado, e dos que somente se arrependem porque foram "apanhados".

Aqueles que dizem que de nada se arrependem, facto, e como disse e muito bem, podem o dizer de certa forma porque não têm talvez a consciência de avaliar o que fez. Ou, num outro ângulo, podemos encontrar pessoas que não se arrependem por compreenderem a dimensão espiritual da experiência que passou.

É necessário compreender que a nível espiritual o bem e o mal não existem necessariamente, mas sim a experiência dentro do nível evolutivo daquele espírito. Ainda este ano, tive a possibilidade de falar com alguém com quem vive uma época de dor devido a separação, e na nossa conversa, depois de 6 anos sem contacto, não houve, nem desculpas nem arrependimentos. Tudo que se disse e se ouviu e que na época magoou, era o que era necessário, sem rancores, nem vitimizações. Isso só foi possível porque ambos evoluímos e percebemos a componente espiritual da nossa união e posterior separação.

Neste reencontro não houve, pedidos de desculpas, acusações, mas sim a compreensão de tudo que se passou, sem qualquer arrependimento, das palavras ditas e ouvidas. 


Resumindo, muitas vezes quando não há arrependimento, pode não ser por despeito ou arrogância, mas sim por adquirir uma maior compreensão de tudo que se passou, onde nada era o certo ou errado, mas sim o necessário para a evolução daquela alma.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Entre pais e amigos

Muitas vezes quando vivemos com os pais, e natural sentamos mais a vontade com pessoas externas, amigos, pessoas que não tenham uma ligação tão forte como os pais ou outro membro da família tenha. 

O que ocorre normalmente é que a ligação entre pais e filhos muitas vezes não lhes permite falar e nem ouvir sem ter em conta a ligação emocional. Na realidade, esta situação comum em qualquer situação que envolva ligações fortes entre pessoas. 

O jovem que não conta aos pais certas coisas não o faz porque tem medo do julgamento que advém. Naturalmente, se ele estiver a fazer algo errado, é normal que qualquer pessoa que tenha responsabilidade pelo jovem e que tenha ligação emocional forte, terá a tendência de alguma forma expressar o seu desacordo. Como tal, é necessário perceber que o jovem por natureza é tolo, sim tolo. Tolo porque vem depois e acha que está a descobrir algo novo e que domina o mundo. Não tem nem responsabilidade, nem auto-estima suficiente para receber críticas, logo ele irá procurar alguém que o "aceite" e "compreenda" como ele "É". As palavras estão entre aspas por raramente estes sabem o que é realmente aceitação, compreensão e muito menos o que ele próprio é. Quando digo isso não me refiro como forma depreciativa, mas sim tendo em conta que é uma fase de crescimento e de descoberta do jovem.

Os pais têm que ter mais sabedoria e separar o papel do MÃE e PAI,  e torna mais um concelheiro. O que pretendo dizer com isso é que, os pais mesmo que seja algo errado, ao contrário de o dizer que é algo errado, fazê-lo pensar noutra perspectiva ou visão da mesma situação. Este tipo de atitude normalmente aumenta o nível de confiança dos filhos em relação aos pais, pois estes não se apresentam como detentores da verdade mas sim como guias que apresentam outras formas de pensamentos.

No ponto de vista do jovem, normalmente o jovens que não aceitam críticas são aqueles que têm a tendência de vitimar-se. Este dizem sempre que ninguém os compreende ninguém os ouve e que o mundo está sempre contra eles. Este comportamento é derivado de falta de confiança e muita emoções incompreendidas reprimidas. Tendem normalmente a apoiar nos amigos e têm quase sempre os pais como os piores inimigos.  O apoio dos amigos é bom quando estes também são bons e equilibrados, no entanto, este apoio muitas vezes só consegue ir até determinado nível, que é inferior ao nível familiar.

O jovem que não ouve é também normalmente o que mais erros comete, mais esconde tudo de todos, dado que acha que o mundo o persegue, e que os amigos que aceitam como verdade tudo que diz são os melhores. Têm uma grande vontade de ser adultos e independentes, no entanto raramente o são porque de certa forma, embora critiquem, apoiam exactamente nos mesmos pais que eles tomam como inimigos. Muitos não se apercebem muitas vezes da sorte que têm de terem os seus pais, quando muitos outros jovem sequer família têm.

O problema está na compreensão e equilíbrio emocional, e quanto mais tendência a vitimar tiver mais desequilíbrio terá, pois tenderá a ir-se a baixo muitas vezes por coisas mínimas. Este jovem para atingirem o equilíbrio têm que ser humildes, pois senão continuarão a cometer as mesmas trapalhadas na vida adulta. E tudo começa por tentar pelo menos aprender com pessoas com maior experiência. Saber ouvir críticas é algo importante na vida, porque nos prepara também para sabermos compreender melhor as nossas ideias. 

Sempre que puder torne seus pais seus melhores amigos, mas isso tem que vir dos dois lados

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Oferta


As vezes é bom também deixarmos que as pessoas nos ofereçam algo, sem que tenhamos que por os nossos gostos ou julgamento sobre o que é oferecido.

Em geral esta frase é uma metáfora. Metáfora para situações onde muitas pessoas se queixam por não terem as coisas exactamente da forma como elas gostam. Normalmente são pessoas exigentes, muitas delas lutadoras. Estas pessoas tendem em tentar assumir o controlo de tudo, para resolver, ajudar, criar, construir. Sentem-se sempre responsáveis, pois acreditam que se elas não intervirem nada será feito muito menos resolvido. Elas mesmas muitas vezes reclamam de falta de ajuda, que ninguém apoia, e que tem que lutar muito.

Quando escrevo o parágrafo inicial, que dizer que muito embora digam essas pessoas que ninguém as ajuda, muitas vezes essa ajuda aparece, mas é descartada porque a pessoa acha que a ajuda não fará as coisas como ela quer.

Outras vezes as ajuda a volta, bem pode querer ajudar, mas não sentem espaço para tal, ou têm o sentimento de nunca satisfazer a pessoa que pretende ajudar.

As vezes é necessário valorizar o esforço despendido por alguém para ajudar, mesmo que o resultado muitas vezes não tem a qualidade que se gostaria. Com uma abordagem não crítica, pode-se facilmente fazer com que a ajuda sinta satisfação, e só depois referir alguns pontos de melhoria. Normalmente isso não acontece, o que realmente acontece é que a pessoa está tão focada no modo como deve receber as coisas que não vê o esforço despedido por outra. Logo, começa não por ver o que está bem feito, mas sim o que está mal feito. Daí saem críticas, que rapidamente intimida qualquer ajudante.

O mais difícil ainda é fazer perceber a pessoa que  na realidade ela não deixa que seja ajudada e que não tem que assumir todas as responsabilidades que vê. E que é exactamente este assumir que faz com que as outras pessoas não assumam a sua própria responsabilidade e tenham também dificuldade em ajudar.


domingo, 3 de junho de 2012

A passagem


É sempre de grande tristeza quando nós perdemos um ente querido, alguém que nos foi próximo. Muito embora o conceito da morte é considerado o fim, ela não o é, mas é mais uma passagem. No entanto, essa passagem deixa grandes marcas as pessoas que ficam, e essas marcas são dolorosas.


É necessário perceber que cada alma tem o seu caminho. Os laços dos que temos e desenvolvemos ao logo da nossa vida com todos estes seres nos faz tornar apegados. A nossa crença na morte como O FIM, nos deixa muitas vezes marcas de abandono, solidão, mágoa e injustiça.

Muito embora saibamos que é esse o culminar do processo ao longo da vida, a passagem, para as crenças actuais, é sempre encarada com muito medo. Mas nisso da passagem,...... 

...a dor é de quem fica.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

O potencial escondido


Muitas vezes questionamos o motivo pelo qual muitas pessoas chegam a ideias, soluções brilhantes. Achamos que é uma "força sobrenatural" (paradoxo, o que define que é natural ou não?) que de alguma forma intervém, ou magia negra, até pactos satânicos.

Em primeiro lugar é necessário incutir nas pessoas que existem pessoas com sucesso na vida, sem precisarem de recorrer a tais mecanismos. Pessoas honestas, trabalhadoras e muitos tementes à Deus. Em geral, estes tipos de argumentos são normalmente utilizados para justificar o "desconseguir" de muitos.


O potencial escondido vem falar de algo que todos têm mas que poucos utilizam de forma adequada no seu dia-a-dia, O seu Deus, O EU Superior, Guia, Intuição, o nome que melhor o satisfazer. Resumindo, o potencial é ouvir o seu CENTRO o INTERIOR. O ouvir o INTERIOR muitas vezes pressupõe fazer coisas que o mundo dirá que não funcionará, até verem o resultado. Se fizerem uma pesquisa por pessoas de sucesso, verão que muitos passam por momentos em que estão isolados em relação a sua postura com o resto do mundo. E este mesmo mundo mais tarde cai a seus pés. Ex: Bethooven, Paggini, Steve Jobs, Bill Gates, Galileu entre outros que nos são desconhecidos.
A maior parte das pessoas estão mas focadas para o seu EXTERIOR que para o seu interior, estão muito focadas em SOBREVIVER do que realmente VER o que REALMENTE QUER SER. Todas pessoas criativas detêm a capacidade de ver o seu INTERIOR sem julgamento. O Julgamento é a gordura no vaso da criatividade e do Interior.


Para operar ao nível do interior, é necessário soltar o MEDO. O medo é fruto da IGNORÂNCIA de SI MESMO. O medo que muita gente tem de sair do que lhe foi dito que é NORMAL faz com que não encontre o seu POTENCIAL ESCONDIDO. Logo, muitos detêm dons que não sabem usar, outros que têm que esconder do resto do mundo com medo de ser julgado.

Conheça o seu potencial escondido, explorando mais o seu EU, o seu interior, livre de MEDOS, JULGAMENTOS e da necessidade de ser NORMAL.

domingo, 15 de abril de 2012

Acreditar vs Saber


 Existe diferença entre CRER e SABER.

Crer não precisa de provar, não depende do conhecimento lógico, da explicação elaborada, simplesmente o É. Pode ser mentira ou verdade, não constata um facto mas sim na crença de que facto tenha ocorrido ou não

Saber constata um facto, existem provas, verdadeiras ou falsas, certo ou errado, é o que se sabe.

O problema é quando se acredita que se sabe.....,não sabe o que se sabe, e nem se sabe o que acredita.


Na nossa vida existem coisas mais mais vale SABER do que CRER, outras que mais vale CRER do que SABER. Essa escolha vem do sub-consciente de cada um dependendo da forma como enfrenta a vida.

Muito embora se pense o contrário, a nossa vida actual é uma crença, porque na realidade se sabe POUCO. A crença pode criar factos, mas isso não significa que se sabe. Isso porque a crença muitas vezes subjuga o CONHECIMENTO que é a base para o SABER.

Por incrível que pareça até a mesmo na área científica são baseados em crenças, porque estão muitas das vezes associadas a percepção de quem investiga. Repare que o nosso Norte/Sul é um crença porque se alguém de fora chegar com a nave de cabeça para baixo, o seu conceito de Norte e Sul muda. Darwing e a sua teoria da evolução também é uma crença, partilhada por muitos de nós, assim como a teoria da evolução do homem. Há várias provas que demonstram que ambas teorias só são válidas para algumas situações.
Num referencial do exterior a terra o ET pode muito bem estar a ver assim o mundo. 
A crença está muito relacionada com o nível de conhecimento. Em certos 
níveis de conhecimento há coisas que se SABE e não se CRÊ. Mas isso por si só pode constituir uma bloqueio. Nestes níveis, o que se sabia se continua a saber, mas deixa-se de se Crer............. é, o saber leva também a acreditar.

O mais interessante é o poder que a crença tem sobre o saber. O acreditar, independentemente do que se acredita, permite realizar feitos que somente o saber não alcançaria. Por este motivos muitos brincam e manipulam o SABER para fazer ACREDITAR.

O ACREDITAR proporciona a força para ultrapassar limites do que se SABE, ou se acreditava que se sabia. 


É preciso sabedoria para se escolher no que se acreditar, e muito conhecimento para o que se julga saber.


segunda-feira, 26 de março de 2012

Adolescência : Uma Metamorfose de Sentimentos


Hoje a ver os meus seguidores decidi escrever um pouco sobre o tema no título. Este tema é do blog http://kalenivski.blogspot.com/.

De facto a adolescência é um período confuso para qualquer ser Humano que não tenha alguma orientação. A metamorfose de sentimentos vem precisamente na incapacidade de a entender e a exprimir. Esta confusão ocorre principalmente pela quantidade de estímulos exteriores que recebe o jovem, a TV, publicidades, filmes, família, todos que estiverem a volta do jovem.

Actualmente para ajudar o jovem, tem que se ser mais do que um pai, é necessário ser um guia, para conseguir verbalizar emoções e principalmente ensinar que faz parte da vida sentir estas emoções. Na verdade, nem mesmo os adultos actualmente têm capacidade de perceberem as suas emoções, dado a quantidade de EGO que os absorve diariamente.

A metamorfose começa principalmente com alguma insatisfação em relação aos pais. É esta fase de muitos conflitos, discussões etc, naturalmente este tipo de situações varia de família para família, não retratando uma amostra global. A passagem pela adolescência está muito relacionada com a convivência com a família. Com abertura em mostrar emoções, falar, sentir, até mesmo discutir.
Esta é a fase que o jovem começa por afirmar-se, mas muitas vezes é desviado não para ser o que ele é mas sim o que o exterior diz que deveria ser. O jovem precisa de se centrar, para tal é necessário aprender a estar consigo mesmo e a interpretar as suas emoções.  Muitos jovens por carência tendem a fugir ao amor ou a entregarem a ele de forma desequilibrada, normalmente é consequência de baixa auto-estima e confiança. Têm necessidade de se sentirem aceites e por isso entram em grupos ou mesmo amizades que muitas vezes não são benéficas. Isso pode ser evitado se de pequeno se construir uma boa auto-estima, se passar valores.

O pior sentimento do adolescente é o MEDO, não tanto do exterior mas do seu próprio interior. Tem medo de mostrar certas emoções como amor, expondo muitas vezes a máscara de má como mecanismo de defesa. Muitos cospem no prato que comem, falando mal dos seus pais pelo desentendimentos que têm. Muitos entram em depressão, conflitos, quando tudo isso se resolvia com um amigo com maior compreensão. Alguém capaz de fazer perceber o sentimento, passar outra forma de pensar e observar a mesma situação.

Muitos adolescentes vivem em auto-destruição como forma de magoar os pais. Essa é da maior estupidez que pode fazer isso porque ele estará a condicionar também toda sua vida de adulto.

Para finalizar é preciso saber que o SENTIR nem mesmo adultos o conseguem perceber. Achar um bom guia, uma pessoa com maturidade suficiente, é bom porque tem muitas vezes uma visão mais ponderada da situação. Resumindo, se nasceu agora, tente aprender com os que nasceram primeiro para ter um guia.


domingo, 19 de fevereiro de 2012

Polaridade mental

A polaridade mental reflete sobre a forma de pensar e encarar o mundo. Da escolha de aceitação de determinadas emoções ou mesmo da transformação das mesmas.

A maior parte das pessoas tendem escolher situações negativas, pensamentos negativos e emoções negativas, sem que se apercebam que isso maltrata o corpo. Esta forma de estar está associada a parte réptil do cérebro, que é a zona mais defensiva, possessiva e reactiva. Os pensamentos negativos, pessimismo auto-estima, confiança, são efeitos de uma sociedade empenhada em minorar a energia Humana e o seu potencial. A TV em si tenta incutir na mente da pessoa, realidades de baixa energia, entretenimento que esvazia no expectador, tornando-o num mero recipiente de conteúdo, ditando o que deve ser mau ou bom, o que deve ser considerado verdade ou não, polarizando a nossa mente para as direcções que cada um pretende.
Numa época em que de denigre a imagem do intelectual, desrespeita-se o professor, aplaude-se o populismo, o vulgar, pornográfico, o satânico, a moral, tudo possa desvirtuar o bem estar da pessoa. Tornando a pessoa frágil e insegura é mais fácil moldar a sua mente, onde o principal alvo é a camada jovem.

A polaridade está relacionada com a capacidade de escolha no que pensar, sentir, viver, sem que se deixe levar unicamente pelo ambiente à volta. Viver com base no centro, no interior do que é. Para isso, Desligue a TV, e reflita sobre o seu centro. Faça escolhas.

Tudo tem escolha, até mesmo em relação a uma traição pode escolher não sentir desta forma, se alguém a/o ofende isso só acontece porque escolheu sentir-se ofendida/o. Por isso perceba que ninguém o magoa, pelo menos não fisicamente :), se não escolher sentir-se magoado.

Boa parte das crenças do que devemos sentir, seguir, chorar, alegrar é determinada pela TV, centre-se no que é, e escolha o que sentir. Muitas vezes, embora se diga que a violência não resolve, mas as vezes um bom soco  resolve muito bem.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Cargas

Bem vai ser o 1º post de 2012. Falemos sobre cargas, neste caso falemos sobre os vários tipos e cargas que o ser Humano carrega na sua vida. Cargas emocionais, físicas, responsabilidades excessiva, stress entre outras cargas.


É necessário realçar desde já que tudo isso é escolha, e essa escolha depende da forma como olha para si próprio como projecto de vida. No nosso dia-a-dia, existe uma grande necessidade de correr atrás dos bens materiais dado que nesta sociedade materialista, não ter máteria representa não existir. Muitas pessoas carregam muitas cargas na vida, reclamam sobre stress, mas não se apercebem que na realidade eles são os próprios responsáveis desta situação. Boa parte das vezes começa por não ter capacidade de dizer não, ou até mesmo definir como prioridade interesses próprios.



Um exemplo, é o trabalho excessivo que muita gente despende para poder pagar uma casa que na realidade nunca está presente. Muitas vezes comprasse coisas que o seu pagamento por si só não nos deixa dormir sossegado por ter feito crédito. Pode dizer que precisava, mas a pergunta é, será que realmente precisava? Será que este objecto vale todo stress que tem, só para o ter, e poder dizer que o tem?

O mesmo acontece quando fazemos coisas não porque é o nosso objectivo mas porque temos que satisfazer expectativas de outras pessoas como pais. Muitas vezes são nossas próprias criações ao achar que temos que ser responsáveis pela responsabilidade dos outro que nos tira a PAZ interior, a insegurança nos faz querer, por exemplo, proteger sempre o filho, e isso por si só se reflecte como sendo uma carga tanto para pessoa como para o filho em si. 
É engraçado como muitas pessoas pagam por luxo que não usufruem, têm uma piscina a qual raramente nada, uma grande casa que nunca está nela, tudo porque tem que trabalhar para pagar tudo o que tem. 

Actualmente passamos a vida toda a trabalhar para acumular dinheiro para pagar as doenças que o trabalho criou. Quando temos vitalidade na vida e que devíamos explorar o mundo e não quando a velhice e doenças já assolam o corpo.

As vezes a obsessão em ter, controlar ou quer certas coisas, nem nos deixa sequer descansar, e lamentamos que estamos cansados, mas não temos consciência que tudo isso é causado por nós mesmo, porque temos pouca capacidade de soltar cargas. 
O maior obstáculo em soltar as cargas são os nosso polícias do dia-a-dia. Quem? Os amigos e conhecidos,  que irão criticar, apontar e julgar porque você tomou isso e acham que devia ser assim ou assado. Muitos vão achar que está louco, mas isso muitas vezes é tudo uma questão de perspectiva.

Muitas vezes ter menos representa ter muito, porque tem muito mais vida. Para se ser livre é preciso de soltar  de determinadas dependências e dar prioridade ao nosso bem estar, e paz de espírito também. Para tal é necessário o equilíbrio.

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...