segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Pensamento destrutivo



Defino pensamentos destrutivos como aqueles que, por alguma razão, sabendo ou não, o temos para nos fazer sentir em baixo, tristes ou mesmo deprimidos.

Existem muito factores, que no decorrer da vida, nos abala, nos faz pensar sobre nós mesmos, ou alguma situação em que nela participamos como sujeito. O resultado do desenrolar destas situações, muitas vezes acaba por nos fazer de alguma forma sentir uma baixa auto-estima ou mesmo nos fazer imaginar coisas que nos podiam magoar.
Será errado isso?

Não, é humano, mas muitas vezes são estes pensamentos que nos vêm à cabeça e são difíceis de os afastar. Geralmente, quanto mais pensativa e imaginativa a pessoa é, maior é a capacidade de criar este tipo de pensamentos. No entanto, é necessário evitar estes pensamentos, porque nos pode levar a comportamentos de paranóia, principalmente em situações envolvendo relacionamentos. Ter um relacionamento em que se vive em clima de desconfiança é o mesmo que que viver numa prisão.

Uma das várias situações que nos levam a pensar assim tem haver com término de relacionamentos, onde, em geral, nos sentimos rejeitados, trocados, até mesmo abandonados. Também acontece quando estamos sozinhos, e achamos que ninguém se interessa por nós. As vezes surge como uma demonstração de baixa auto-estima, mesmo sobre aqueles que a têm em bom estado, sob forma de pensamento negativos, mesmo sobres as pessoas optimistas.

Difícil é evitar estes pensamentos, contorna-los, apaga-los, o mais importante é saber gerir toda esta situação. Em muitos casos estes pensamentos geram incertezas, desconfianças, suspeitas, em que, geralmente, proporcionam um mau estar no relacionamento da nossa pessoa com os outros.

Não existem segredos, nem formas matemáticas, a não ser aquela que existe dentro de nós, que é pensarmos no que amamos, no que nos faz feliz, no que mais bonito temos no coração. E o principal, o mais difícil, "Não julgar" nem a nós, nem os outros.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Destino

Se deixar todo seu destino
na mão de outra pessoa,
não lamente o resultado.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Emoções


Um dos maiores desafios do ser Humano
é conviver com suas emoções mais íntimas
e conjuga-las com a dos outros.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Baixa auto-estima II


No texto anterior, retratei algumas das várias causas da baixa auto-estima. Um tema vasto por si só, é interminável as questões relacionadas baixa auto-estima e até mesmo os efeitos causados pela auto-estima.

Hoje retrato um pouco de alguns problemas sociais como, criminalidade, racismo entre outros.

Actualmente boa parte de sociedade possui uma baixa auto-estima. Muito desta baixa auto-estima tem haver com o modelo de vida e a forma como o ser humano olha para si mesmo como para outro. Actualmente vivemos numa sociedade em que o importa é o ter e não o ser. Onde o respeito pelo outro é baseado na capacidade de ostentação material e não tanto no carácter da pessoa.
Existem pelo menos 2 tipos de baixa auto-estima, aqueles que se subjugam e os que subjugam. Perceptível :P?! Bom, os que se subjugam acham-se notoriamente inferiores em relação aos outros, os que subjugam, podem separara e vários grupos, mas vou referir-me a 2 em principais, os que subjugam pela imposição da sua personalidade e ou característica física e os que o fazem pela ostentação ou materialismo.

Os que se subjugam sã0 boa parte da população mundial, o que vou dizer poderá causar alguma controvérsia, mas digo que os negros são dos primeiros a encaixar neste perfil. A base de sustento da minha afirmação tem haver na própria capacidade de se vitimizarem, acusando de acto de racismo. Mais complexo ainda tem haver com as situações sociais em que muitos nascem a criminalidade. Neste post falarei dos que se subjugam, para não tornar demasiado extenso e cansativo.

Uma das principais características da criminalidade nas cidades ou bairros designados de pobres ou problemáticos reside já por si só em ter a conotação de bairro problemático. Em geral, não uma exclusividade dos negros, mas tendo em conta o nível sócio-económico destas famílias, são todas acumuladas em determinadas zonas da cidade. Estas pessoas crescem já pensando que não podem ser nada mais para além do que o bairro é, aliás, quando muitos tentam, a conivência social dentro do bairro em si, os ditos "amigos" o vão empurrar e desacreditar em qualquer que seja a ideia inerente à saída daquele meio.

Olhemos com atenção, que, na população negra, mundialmente, tem a maior taxa de mãe solteiras, ou seja, o pai só serve para a concepção, e normalmente têm mais do que uma mulher, até porque o homem negro por natureza tem uma apetência a sexualidade muito promiscua, quando não educado. Ok, sejamos realistas, até mesmo os educados :D. Já a nascença, o facto de não ter uma figura masculina em casa, passa uma mensagem muitas vezes de abandono. Quando uma vez Barack Obama se referiu a maior responsabilidade da comunidade negra, era precisamente a este problema que se referia.

Não ignorando todos factores históricos e sociais associados a esta problemática, já é tempo de uma evolução. É necessário que o negro elimine a cor e encare a si mesmo como ser humano. Existe uma grande tendência em vitimizar principalmente se não consegue alcançar um cargo, assumindo que não o conseguiu por motivo raciais. Muito embora haja algum preconceito, este já não é um factor decisivo actualmente. Na realidade muitos usam a racismo como arma de arremesso para justificar, protegerem-se e até mesmo como motivo de chantagem.

Existe a necessidade de se assumir como Homem, pelo seu valor pessoal e não vitimizar ou até mesmo superiorizar, a palavra de ordem é consciencializar. Recordo bem que em Angola já ocorreu algumas vezes ouvir a expressão:

- "Tás armado em branco";

expressão essa que vem no decorrer de alguma atitude que fora corrigida por alguém e como resposta ou defesa é uma frase típica. Isso revela por si só que em muitos casos as pessoas negras assumem por elas mesmo que o branco é superior, ou pior ainda, é pensar que somente eles, os brancos têm a capacidade de fazer algo que seja correcto, reflectindo a baixa auto-estima como pessoa, assim como um grande falta de educação e consciencialização.

Algo que também me espantou foi um amigo que disse que não poderia namorar com mulher branca porque ela o poderia chamar de "preto" numa discussão. Isso revela uma total incapacidade de aceitar que esta mulher, independentemente da cor/raça gosta dele por ser homem e não pela sua cor ou raça. Isso também revela a incapacidade de olhar para si mesmo somente como uma pessoa.

Se como pessoa não sabe dizer o que vale, de nada vale dizer a que cor ou raça pertence.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Toda vida num flash



Acho que muita gente já ouviu falar que no leito de morte a pessoa costuma ver toda nossa vida passar. Não é um mito. Falando na primeira pessoa, quando aos 8 ou 9 anos estava a afogar-me, por ter caído num precipício na praia, na baía de Luanda, quando já me faltava o ar, vi toda minha vida passar, o meu nascimento, tudo que fizera até exactamente aquele momento. Vi não como primeira pessoa mas como alguém que estivesse a ver um filme, vi-me na barriga e vi-me nascer.

Mas infelizmente, ou felizmente, como em Angola a energia "vulgo luz" costuma a ir "baza" muito frequentemente"bué" quando se está a ver um filme "movie", no meu caso também foi, quando fui subitamente puxado por alguém que nunca vi. O mais estranho é que a praia mesmo estando cheia de gente ninguém reparou no meu afogamento, assim como o meu salvador não se fazer presente.

Mas é verdade, vê-se toda vida num flash antes de morrer.

domingo, 2 de agosto de 2009

O dinheiro

O dinheiro é o produto mais vendido e o preço a pagar muitas vezes custa a alma da pessoa. Exploração, guerras, fome, vem tudo a partir da grande necessidade de se garantir maior quantidade de dinheiro possível, não importando muitas vezes por quem se tem que passar por cima.

Mas o problema não reside no dinheiro em si, mas sim nas pessoas, melhor dizendo, em nós. Porque assim como a serpente tentou Jesus, com luxúria e poder, somos tentados da mesma forma. Quererá isso dizer que não devemos ter uma boa vida? Não, mas podemos ter sem precisarmos de excessos, sem precisarmos ter 1000 a custa que quem 0,001. O problema é que muito de nós precisamos necessariamente de ostentar para nos sentirmos alguém porque ser nós mesmo não sabemos o que somos.

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...