sexta-feira, 27 de março de 2009

Técnica de comunicação II


Muitas vezes é necessário fazer entender o nosso ponto de vista aos outros, mas nem sempre é fácil passar a mensagem, boa parte das vezes as pessoas estão a exprimir as mesma ideia de forma diferente e discordando em alguns pontos.

Quando estiver nesta situação, comece sempre pelos pontos de concordância, tenha sempre a certeza que do outro lado perceba que afinal também concorda com ele e que estão na realidade a trabalhar para chegar ao mesmo destino, mas somente a tomar percursos diferentes. Disseque as vantagens de um percurso e do outro, focando sempre no lado positivo de ambos, mas diferenciando entre o "bom" e "muito bom".

Variáveis da vida



Se tentar controlar todas variáveis da vida, poderá ter certa segurança, mas a vida nunca lhe surpreenderá, pois deixará de ser variável para ser estática.

Se não disponibilizar as variáveis do amor na sua vida, ninguém poderá passar o valores que farão despertar o amor.

Se não estiver atenta/o as variáveis de quem se aproxima de si, nunca saberá os valores que esta pessoa poderia passar para suas variáveis.

Se valorizar mais a variável da tristeza do que da alegria, triste a sua vida será.

Se somar os pequenos valores das variáveis que lhe fazem levantar todos os dias, poderá ser um bom factor para multiplicar pela variável felicidade.

Se for sábio/a a gerir as variáveis que de nós não dependem totalmente, dando o factor de importância e urgência certo, caminhará para uma vida em equilíbrio.

quinta-feira, 26 de março de 2009

No teu olhar


Nos teus lábios,
hoje,
vi felicidade,
escrita por um lindo sorriso,
mas no teu olhar,
vi Paixão,
ardente como sol.

---//---

In uw lippen,
vandaag,
Ik heb geluk,
geschreven door een mooie glimlach,
maar in uw ogen,
Ik zag Passie,
zoals brandende zon.

---//---

En tus labios,
hoy,
Vi la felicidad,
escrito por una bella sonrisa,
pero en los ojos,
Vi la pasión,
como sol ardiente.

---//---

In your lips,
today,
I saw happiness,
written by a beautiful smile,
but in your eyes,
I saw Passion,
as burning sun.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Amor e o homem



Amar alguém definitivamente é algo que todos queremos, mas que antes requer ter conhecimento de nós mesmo, do nosso próprio eu. O nosso parceiro ou cônjuge tanto pode ser alguém que nos põe no topo da mais alta felicidade, como alguém que nos enterra na maior das depressões.

Amar alguém sem conhecimento do que se é, sem se amar a si mesmo, leva muitas vezes com que as pessoas depositem tanto na outra pessoa, que nada resta para elas mesmo quando este relacionamento termina. Antes da procurar por uma alma gémea, é necessário fazer a procura por nós mesmo, até porque como saberá da alma gémea se não se conhece e sequer sabe o que quer.

Mais difícil ainda é a aceitação da busca interior, porque em geral muitos têm medo de se confrontarem com consigo mesmo, com o que sentem, medo, receios e até mesmo personalidade. No entanto é passo importante para que se possa estar sólido. Pode parecer insegurança ou medo, pois muito acreditam que deve se dar todo amor que se tem. Vejamos, amor é vida e vida é amor, no entanto se der todo seu amor a alguém, inclusive o amor próprio, significa que está a dar a própria vida a essa pessoa e se ela se for embora nada mais lhe resta. Significa isso que não nos devemos entregar ao amor, entregar a vida? Não.

Amar alguém não é depender desta pessoa, já lá foi o tempo que era assim por questões sociais, financeiras, entre outras. Actualmente só se for escolha da pessoa. Actualmente amar, é como partilhar energias, dar tanto quanto se recebe, é a partilha da vida e consequentemente do amor, dado pelos os 2 e não simplesmente por um lado.

Reconheça quem é, antes de procurar por outra pessoa. Principalmente a quem se apaixona à primeira vista, é necessário lembrar que muito daquela paixão é algo fictício, porque pode não retratar o que a verdadeira pessoa é, ver alguém, é totalmente diferente em conviver com a mesma pessoa no dia-a-dia, no íntimo.

Descubra a si mesmo e descobrirá o outro.

Devido a uma conversa no msn com um amigo vou esclarecer algo:

"Dar a vida por alguém é diferente de dar a vida a alguém."

sexta-feira, 20 de março de 2009

Transição de estado


A pouco tempo descobri que algo que costumo fazer, antes de chegar a casa, fora citado num livro. Confesso fiquei espantado porque para mim sempre foi algo banal o que me causou impressão que se tivesse escrito num livro e dado tanta importância. Tem haver com a transição de estado emocional da rua para casa por exemplo.

Desde dos 8 anos que estudo comportamentos, um dos mais recorrentes comportamentos é a chegada a casa depois do trabalho, em que cada pessoa trás o seu stress. É o cansaço, o patrão é chato, os transportes, a barulheira da rua. O mais comum é chegar a casa irritado, zangado, e descarregar com as pessoas que supostamente amos mais (mãe, pai, filhos, mulher, seja quem for).

Pensemos o seguinte....., só porque o patrão nos paga não podemos manda-lo à M*, acumulamos irritação e descarregamos nos nossos filhos, ou seja lá quem for que esteja intimamente ligado a nós.
Quando chego a casa, e quando nela está alguém a passar um tempo comigo, visto que vivo sozinho :), antes de entrar tiro um tempo sozinho na rua, sentado, ou entro para o meu quarto durante algum tempo mantenho-me lá, e vou fazendo as minhas coisas, até que toda tensão repouse, e só a partir daí é que parto a perguntar a todos como foi o seu dia. Este momento de pausa é o que chamo "Transição de estado".

Quando por exemplo estou em casa dos meus pais, já que não dá para entrar e não falar com ninguém, fico no carro, deito o banco de trás e ponho numa posição de relaxamento, mãos na cabeça e música calma.

A uns meses atrás tive uma experiência interessante, quando fui acompanhar uma prima a casa de pessoas desconhecidas. Era uma família africana, modesta, em que o marido trabalhava na obra, a mulher tinha acabado de ter bebé, com um filho mais velho. Chegou aquele senhor, que vindo do trabalho, esboçava um grande sorriso, e começou a sua entrada em casa, dizendo:

- Boa noite, para todos as mulheres, todas as mulheres estão lindas, a mulher da minha vida está linda! - beijando a esposa.

- E como está o bebé?- perguntou ele. pondo-o no colo e brincando com ele.

No mesmo instante eu comentei com a minha prima que aquilo era algo extremamente raro de se observar.

No caso da mulher é mais complicado, porque em geral acarreta as responsabilidades da casa, mas as vezes é uma questão de organização, faça um diagrama temporal e de prioridades, a mulher é muito boa nisso e vê o que deve tratar primeiro. Mas se tiver as coisas organizadas pode sempre tirar antes de fazer tudo um tempo para si, depois de chegar a casa, sente-se um pouco, habitue os filhos e o marido a fazerem o mesmo quando chegam a casa. (assim também não chateiam durante este período )
, verá que a disposição será melhor.

Também importante dizer, sempre que estiver de mau humor, diga ao seu parceiro/a, ele ou ela não têm que ser um saco de pancadas, e se somente fizer silêncio ficará preocupado/a.

Fale o menos possível,e o parceiro, não faça muitas perguntas, deixe que se acalme, afinal todos nós temos que ter o nosso espaço mental, no final provavelmente irá ter consigo e contar o que se passa :).


terça-feira, 17 de março de 2009

Técnica de comunicação I



Por sugestão do Paradoxo que tive muito gosto de conhecer pessoalmente, decidi escrever sobre uma técnica de comunicação.

No nosso dia-a-dia é comum irmos a repartições públicas, onde queremos ser bem atendidos e ajudados no problema ou situação que para lá nos fez deslocar. É mais comum ainda, sentarmos e desbobinarmos todo nosso problema a frente daquela pessoa, no intuito de sermos ajudados mais rápido possível. Ora eu sugiro uma abordagem diferente, e que tem como resultado maior disponibilidade de quem está a atender em ajudar, logicamente, esta técnica não funciona a 100%, pois depende um pouco do estado de espírito e sensibilidade da pessoa que está a atender e quem a aplica.

O que proponho é os seguinte:
  1. Antes de se sentar, esboce um sorriso e cumprimente com um sorriso; não interessa se está ou não bem disposto.
  2. Não comece por expor o seu problema, pergunte a quem está a sua frente, como está a correr o dia, frases simples como; "Como está a correr o dia, muito trabalho não é?", ou frases que demonstrem a compreensão pelo trabalho desempenhado pela pessoa; "Vocês têm tanto trabalho, atender tanta gente"; ou ainda elogiar o dinamismo ou o trabalho da pessoa. O elogio ao dinamismo da pessoa tem como efeito fazer sentir que alguém realmente está a ver o esforço, e como contrapartida, esta pessoa quererá dar a melhor resposta a situação que lhe for apresentada, para que possa continuar a merecer o elogio.
  3. Não toque no assunto que lhe levou a sentar-se no balcão até que o funcionário pergunte: "No que lhe posso ajudar" ou algo semelhante. Esta pergunta é o que dá a luz verde a expor a sua situação. Na forma mais comum de abordagem, em que todo usam, temos um cliente e um empregado que se sente da obrigação de o atender, com esta abordagem o papel é diferente; pelo facto de ser o próprio empregado a disponibilizar a ajuda, todo sentido muda, pois deixa de sentir como uma obrigação de empregado para cliente, e passa para alguém disponibiliza ajuda para alguém que precisa de ajuda. Neste último sentido, fará com que quem esteja a atender desdobre-se para satisfazer a expectativas de quem precisa de ajuda.
  4. Não fale nunca alto, e não gesticule quando estiver a falar, isso cria um cenário de stress, fale com voz localizada, ou seja, fale somente para a pessoa. Transmitir calma a quem lhe atende vai ajudar também que essa pessoa saiba controlar o tom de voz e a maneira como o vai receber.
  5. Nunca tente falar por cima de quem lhe atende, mesmo que discorde, deve utilizar palavras tais como; "certo", "compreendo", "pois é", "com certeza". Lembre-se sorriso nos lábios
  6. Se por alguma forma for negado a situação, não desate aos berros, faça sempre a pergunta para uma solução alternativa, tais como; "e como posso resolver o meu caso", " seria possível indicar-me uma alternativa", "não podia fazer o favor de me indicar uma alternativa". Estas frases farão com que o funcionário não queria somente despachar sem pensar um pouquinho mais a fundo numa possível solução para o seu problema.
  7. Nunca esquecer, de agradecer pela ajuda, mesmo que não tenha ajudado, pode precisar de lá voltar, boas frases para além do comum "Obrigado" são: "obrigado pela sua disponibilidade", "obrigado pela ajuda" (Não tão bom, muito corriqueiro), "agradecido pela delicadeza" (mais pomposo, principalmente para dizer a mulheres).

quarta-feira, 11 de março de 2009

Os meus defeitos

Nada melhor que a data do meu aniversário 11 de Março, para falar dos meus defeitos. É uma reflexão sobre mim mesmo, uma incidência da luz de palco sobre mim mesmo. Comecemos:

  1. Não festejo os meus aniversários; desde que me tornei dono de mim mesmo.
  2. Não lido bem com elogios; e já melhorei um pouco.
  3. Não me acho bonito; embora não me afecte a auto-estima.
  4. Sou hiperactivo; não é bem defeito, mas as vezes é demais.
  5. Faço sempre várias coisas ao mesmo tempo; até curto esta parte senão, dormia.
  6. Durmo nas aulas; é verdade, é difícil as vezes manter-me acordado em certas aulas.
  7. A minha confiança as vezes assusta-me; as vezes simplesmente sinto-me intocável.
  8. Dificuldades em assentar nos relacionamento; boa parte não porque não quero, mas por causa das circunstâncias da vida.
  9. As vezes ressono; não sei dizer quantas, porque não me oiço, hehehe, só para dar sinal a quem estiver ao lado que estou vivo :P.
  10. Adoro estar sozinho; tenho trabalhado nisso, um amigo meu disse que seria capaz de viver sem ter ninguém no mundo; e seria, mas agora já não, Graças a Deus.
  11. Sou extremamente sensível ao estado de espírito das pessoas, principalmente das que de alguma forma me interessam.
  12. A minha cabeça é demasiada complexa para eu conseguir explicar determinadas coisas; isso porque tudo nela tem um medida emocional, e esta é difícil explicar a escala.
  13. Tenho dificuldades a dormir; não importa quanto o corpo está cansado, a minha mente as vezes está demasiado desperta a criar ou pensar.
  14. Não consigo cantar nem tocar alegria; vida, drama, melancolia, e tristeza são melhor retratados por mim do que alegria, no entanto, a minha vida não sou assim, na realidade, canto o sentimentos que já senti dos outros.
  15. Tarado e perverso; hummm, epa esse não faço questão de mudar, já é de família.:D
  16. Posso falar pelos cotovelos como passar dias sem abrir a boca; as vezes é difícil, as pessoas mais próximas perceberem porque estou em silêncio, e as mais distantes acharem que nunca me calo.
  17. Embora seja muito calmo e sereno, por dentro controlo uma fera.
  18. Não suporto andar muito tempo em grupos de pessoas; agora já suporto melhor em determinados grupos de amigos, mas tenho tendência a isolar.
  19. Sou incapaz de voltar para algum relacionamento depois de ter terminado; confesso que não sei porquê.
  20. Consigo ver ou saber coisas que até me magoam mas não falo.
  21. Todo relacionamento com pessoas tem um hierarquia para mim, na qual cada um tem um papel e nesse papel permissões de como eu deixo esta pessoa tratar-me e aquilo que aceito fazer por esta pessoa; é um pouco chocante.
  22. Trato muito bem quem namora comigo, mas se esta pessoa for tocada por outra enquanto estiver comigo, já não a conseguirei tocar; bem isso talvez explique não conseguir voltar, mas acho isso muito estúpido, só que ultrapassa o meu racional.
  23. Muito relaxado as vezes; as vezes simplesmente sei que determinada coisa é para ser minha, quer faça algo ou não, então relaxo.
  24. Não acredito no amor a primeira vista.
  25. Embora não pareça, sou uma pessoa muito fechada.
  26. Sou muito auto-crítico; nota-se hehehehe.
  27. Pareço que nunca dou atenção quando falo com alguém porque estou sempre a olhar à volta; reclamação de 3 namoradas, é preciso dar credibilidade :P.
  28. Demasiado apegado ao meu próprio espaço e minhas coisas.
  29. Sou muito desconfiado, para mim certas acções têm que ter um porquê sempre.
  30. Penso em demasia para certas coisas, não me deixo levar facilmente.

sábado, 7 de março de 2009

Com amadurecer da idade


Com o amadurecer da idade, ganhamos maior consciência. Mais consciência nos faz aproveitar melhor o tempo e o melhor que nele decorrer.

Com o amadurecer da idade, aprendemos a apreciar o que realmente é importante e separar do que é urgente.

Com amadurecer da idade, complicamos as emoções, porque reflectimos mais sobre elas, em vez de as sentirmos mais.

Com o amadurecer da idade, a nossa mente molda, começa pela não preocupação em morrer, seguimos com medo de morrer e terminamos aceitando a morte como eterno descanso.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Homem-pássaro


Como um pássaro,
voa pelo mundo

onde experiencia diversos ventos
e naturezas
.

As nuvens que preenchem a minha visão,
constituindo o meu habitat preferido.

Nascido para bater asas pelo mundo fora,
observar o azul do céu de perto.

A envergadura das asas
não lhe determinam
o limite do voo,
mas em cada batida cardíaca

reflecte a vontade de viver.

O seu destino foi traçado à nascença,
o seu destino de chegada
foi marcado
à partida,
e ambos partilham
um mesmo destino....
.... não ter destino.

Sou eu,
o homem-pássaro,

livre para voar.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...