domingo, 20 de setembro de 2009

Reflexo no espelho



Diariamente todos nós passamos alguns momentos em frente ao espelho, onde por qualquer motivo o utilizamos para olhar o nosso reflexo, quando nos vestimos, barbeamos etc. Como referi, nós olhamos para o reflexo, mas muitas vezes não nos vemos, ou seja, não nos observamos, não olhamos para aquele reflexo e perguntamos quem é, o que é.

Na verdade, maior parte das pessoas com problemas evita ver o próprio reflexo no espelho. A imagem que aparece não agrada, ou representa sofrimento e dor. O espelho, embora um objecto vulgar no nosso quotidiano, é um objecto que serve também para ver o estado da nossa alma, e este facto faz com que as pessoas tenham medo de o enfrentar. De reparar que quando estamos feliz gostamos mais de passar o tempo a observar-nos ao contrário de quando estamos tristes.

O espelho é também um instrumento do psicólogo ou de auto-ajuda, porque ajuda a pessoa confrontar-se com seu "Eu" mais íntimo. É uma forma de saber como a pessoa realmente vê a si mesmo no mundo.

17 comentários:

Susana disse...

Ao ler o teu artigo, não pude deixar de pensar nos olhos. Pois dizem que estes são o espelho da alma e reflectem a forma como nos sentimos. O não olhar para o espelho é igual ao não levantar a cabeça, erguer o olhar e seguir em frente. É igual ao andar de olhos no chão, sem prestar atenção ao que se passa à nossa volta. Sem se importar com nada, andar sozinho e de olhar vazio. Vazio de emoções, mas carregado de tristeza e solidão.
Difícil é enfrentar o espelho, os nossos medos e fragilidades.
Mais uma vez, querido amigo, tocas num assunto muito importante.
Mil beijos

O homem e a mente disse...

Os olhos são a porta para a alma.

Anabela disse...

Vivam

o espelho mostra-nos o nosso mais temido inimigo

sairam-me por volta de 2005 dois poemas sobre o espelho :)
deixo-os aqui

Face ao espelho

Ir, voltar, esquecer, lembrar.
Vai! Mas sempre volta
Aquele outro que nos enlaça.
Volta o toque daquele outro e
Retomam-se conversas inacabadas.
Urge o desejo de partir
Quando envolvemos um outro
Que procuramos e amamos
Mas não conhecemos.
Face ao espelho
Vemos o não visível
Ouvimos o indizível
E esquecemos
Voltando
Das idas
Que de vez em quando
Lembramos.


Serenidade

Doce inquietude…
Aragem quente
Céu celestial.

Encanta a dança
Desta felicidade que vem
De dentro
E se espalha, fluida
Neste amor sereno.

Intimo contentamento
Que se dissemina
De ti para mim
E de mim para ti
Na leve corrente
Deste nosso riso.


São antigos já e ainda... recentes

:) um beijo :)

Maria Rosa disse...

Gostei da fotografia. Revela a simetria da forma e no preto e branco a simetria do interior...
A nossa imagem tem tantas formas... O Génio está em reconhece-la nas múltiplas formas em que se nos apresenta.
imagina a tua imagem sob outra forma... Onde há inquietude reflecte serenidade, onde está medo reflecte confiança, onde está ódio reflecte amor... O Génio... está em reconhecer-lhe a forma

;):)))

Lirium disse...

Ao ler do post, eu me reconhecí nestas palavras. Eu agradeço muito ao meu melhor amigo que sempre me estimula de me enfrentar no espelho. Até agora ainda não fiz, por medo, mas espero que daqui a pouco vou ter a coragem de enfrenta-lo.

Bom post.

susana disse...

O difícil mesmo é ter de enfrentar os nossos medos e ganhar coragem para seguir em frente. Para lutar contra aquilo que não gostamos e desafiar a dor.Como? Não sei. Ainda não consegui descobrir, apesar dos bons conselhos do meu querido amigo Kilson. Obrigada por seres tu, um ser especial e único. E por me entenderes como poucos o conseguem fazer. Quiçá um dia eu consigo seguir os teus conselhos...
Mil beijos. Que a inspiração nunca te abandone.

Marochhi disse...

É, o espelho poderia ser um grande companheiro de descobertas psicológicas, mas , na verdade, não deixamos que ele tenha essa característica, pois precisamos que ele mostre a farsa de nós mesmos.
É o medo da descoberta.

O homem e a mente disse...

É exactamente isso o medo da descoberta. :D

Carolina Jorge disse...

Acho que mesmo os outros são espelhos de nós próprios, quando os olhamos e avaliamos comparamo-nos com eles,procuramos a parte de nós que neles reside. E o inverso também acontece, é difícil olharmo-nos ao espelho sem pensarmos em todos os outros que já vimos. Olha-mos para o nosso exterior, para a nossa aparência, mas tambem observamos o nosso estado de espírito, observamos mudanças, analisamos, questionamos, e como diz, não é fácil fazê-lo. Refletir sobre nós próprios, o nosso interior por pensamento e o nosso exterior, não é fácil, é como fazer uma viagem sem mapa, destino, nem trilhos traçados.

O homem e a mente disse...

Percebo o que diz Carolina mas isso acontece porque nos foi ensinado que nós somos o que a sociedade diz que nós somos, não é difícil se amar a si mesmo.

Não precisamos o mapa para nós mesmo, porque o nosso mapa é o nosso simples SER, para tal é preciso conhecer-se passar mais tempo consigo mesmo e procurar respostas dentro de si, sem medos nem julgamentos.

Jamais use os outros como reflexo da nossa imagem porque se essa pessoa tiver uma imagem distorcida de si, falará de si de forma distorcida, aí é importante saber o que realmente é para que possa diferenciar o que é uma opinião distorcida e o que realmente É.

Carolina Jorge disse...

Claramente, não nos definimos pelo que os outros dizem ou pensam de nós. Mas como veríamos o nosso próprio reflexo se nunca tivéssemos visto ninguém? Inconscientemente olhamo-nos e tentamos julgarmo-nos segundo o olhar "do outro", como se fossemos nós "o outro" que nos observa. E a todo o momento na nossa vida tentamos fazer algo que nos defina, queremos transparecer o que somos, tudo o que se passa e que nos é interior. Por isso escrevemos, falamos, tocamos notas de música. Mesmo quando não tencionamos mostrá-lo a ninguém, é inevitável não o fazermos para a alguém, mesmo que esse alguém não exista ou só exista dentro de nós. Por vezes é dificil encarar que o olhar do outro paira constatemente sobre nós, e dentro do seu próprio mundo, ele cria um pouco de nós consoante a forma como nos vê (ou não nos vê, porque pode não nos ver apesar do seu olhar pairar em nós). E aquilo que somos, afinal, que é mais do que a soma de todos esses pedaços de nós que deixamos em todos os outros, com os pedaços de nós que deixamos em tudo o que fazemos, com o nosso próprio reflexo (físico e mental). O seu blog é extraordinário, obrigada.

O homem e a mente disse...

O que diz é verdade sim senhor, porque parte de nós vem exactamente com o contacto com os outros e muitas vezes são os outros que despoletam muitas das nossas potencialidades.

E como se diz no universo somos todos 1.

Carolina Jorge disse...

Como diz jean-paul sartre: "Estamos sós e sem desculpas, condenados à liberdade. No entanto, ninguém vive sozinho."

Bruna Muniz disse...

Será que eu me vejo no espelho em uma forma, e outras pessoas veêm de outro jeito?

O homem e a mente disse...

é bem provável, repare que embora tenhamos relações de proximidade com outras pessoas, o nosso ser com cada pessoa varia, e nunca é o mesmo de quando estamos com nós mesmo. Normalmente as pessoas se conhecem pelo que as outras pessoas dizem e não pelo que são

Eliene Antunes Teixeira disse...

Hoje pela manhã, tirei uma foto no espelho, a mesma saiu com um reflexo de coração ao meu redor, fiquei pensando qual o significado dessa imagem.
Alguém sabe???
Ficou como um coração cheio de cores, parece um arco iris em forma de coração..

Anónimo disse...

Prezado Sr. proprietario do Blogger: "O Homem e a mente". Meu nome é Angelo Sorguini Santos, sou advogado, meu telefone é 11 - 4330-5632, a imagem publicada em 20 de setembro de 2009, é de propriedade da minha cliente, e esta sendo indevidamente usada em seu blogger. Motivo pelo qual, solicitamos sua exclusao do site o mais rapido possivel sob pela de ingressarmos judicialmente pleiteando indenização por danos morais e materiais.

Cordialmente,

Angelo Sorguini

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...