segunda-feira, 2 de maio de 2011

O BEM = AO MAL I



"Depois de alguma tempo de ausência, finalmente retomo a atividade de partilhar com todos a minha observação no mundo. Tese finalmente entregue....UFFAAAA"

Desejo abordar neste post a questão sobre o BEM e o MAL, e lançar uma perspetiva mais abrangente relacionadas com ambos, pois na realidade, neste mundo dual, estes representam nada mais do que paradoxos.

Tudo começa com crenças. Desde do início da nossa vida, é tarefa de todos que nos envolvem passar determinados valores, usos e costumes. Estes, resultam  na nossa cultura, e vai determinar o que gostamos, aceitamos como certo ou errado, ou seja, vai determinar para que lado tomamos o nosso julgamento.

Todos nós observamos o mundo, com a ideia de o tornar melhor, ou pelo menos alguns. Para este efeito se quer erradicar a fome, entre outros  exemplos. Podemos observar toda esta situação numa perspetiva espiritual ou material. O mundo em que vivemos É DUAL, vamos assumir que UM PONTO  representa qualquer acção abstrata que pode ser julgada como BEM ou MAL, e rodeando este ponto existem vários OBSERVADORES. Definimos OBSERVADORES como sendo pessoa ou animal, ou qualquer outro ser pertencente a nossa dimensão. De qualquer um destes Pontos o BEM e o MAL são meros conceitos associadas a sua própria cultura, logo,  o MAL para algum é o BEM para o outro.

É importante compreender estes conceitos para que se perceba o MUNDO DE HOJE. O mundo de hoje é construído basicamente por contradições, que não são questionadas porque a maioria das pessoas não pensa por si própria, mas simplesmente segue o que viu instituído sem questionar O PORQUÊ.

Reparemos em algumas das contradições:

-  Na sociedade ocidental critica-se a poligamia na sociedade muçulmana, no entanto incentivam, o sexo, a promiscuidade e pornografia.
- Queremos salvar a natureza, então começamos por destruir-la para fazer dinheiro para reconstruir a natureza.
- Na igreja católica ajoelha-se perante a cruz entre outras imagens, quando da bíblia explicitamente jesus diz para não o fazer.
- Faz-se GUERRA para fazer PAZ.
-Morrem pessoas À FOME, mas com mais facilidade chega um F16 aquele país do que comida.
- É aceitável a morte de árabes, de qualquer forma, afinal são considerados TERRORISTAS, mas atenção, não somos RACISTAS, longe disso.
- Os países apresentam sua tecnologia de guerra, enaltecendo como é mais fácil MATAR OS HOMENS MAUS, não dizem MAUS para quem.
- EUA teve luta de libertação na guerra civil feita por DONOS DE ESCRAVOS.
- EUA tornou-se num país DEMOCRÁTICO onde os NEGROS NÃO TINHA DIREITOS.
- Meios de comunicação INDEPENDENTES, que são constituídos por sociedades anónimas. Então....e quem são os anónimos.

São alguns dos exemplos. As pessoas acreditam no BEM ou MAL que lhe convém, para justificar a suas crenças, dado que a maior parte delas necessita de algo externo para ACREDITAR. Este conceito é bem percebido pelos SENHORES DA GUERRA que para justificar o uso da mesma criam ENREDOS MACABROS para criar a PERCEPÇÃO do lado MAU e assim ter JUSTIFICAÇÃO MORAL para fazer GUERRA.

O nosso mundo está construído da seguinte forma: O TEU BEM É O MAL DE ALGUÉM.

A abstracção deste conceito permite-nos ver um ponto de diferentes formas, dado que restringimos as questões culturais. É preciso perceber que a cultura que cada um tem não é algo nosso, não faz sequer parte de nós, foi-nos incutido, pela educação e tudo que nos rodeia. O que significa que se for GATO com pais RATO não vai comer RATO. Enquanto este GATO não tiver outra informação exterior de como o GATO e RATO lidam, para ele o RATO faz parte da FAMÍLIA.

O BEM E O MAL SÃO MEROS CONCEITOS OU CRENÇAS CULTURAIS QUE NOS SÃO INCUTIDOS.

Perigosa esta afirmação não é, porque nos perguntamos, então matar não é MAU?! 
RE: Depende..hehehe... depende de quem matou, quanto são contra matar alguém mas acham certo ser morto, por exemplo, um pedófilo. Aliás mesmo um assassino quando mata alguém, e tem prazer em fazer-lo, então BOM PARA ELE E MAU PARA O ASSASSINADO.

Tal como o BEM e o MAL, o conceito de BOA PESSOA e MÁ PESSOA também é dúbio. Independentemente de quase todo mundo odiar Hitler, ele tinha que o amasse e o considera-se BOA PESSOA. Uma BOA PESSOA é tão PERIGOSA quanto uma MÁ PESSOA, a única diferença está no que motiva a praticar o "MAL". Basta fazer acreditar que aquela ACÇÃO é para um BEM para que  BOA PESSOA possa ACEITE a acção como JUSTIFICÁVEL, principalmente se esta BOA PESSOA sentir que quem ordena tem algum tipo de AUTORIDADE sobre SI. É desta forma que as guerras são aceites pela população, principalmente na Europa e EUA, fazendo-as crer que é para o BEM, mesmo que este não seja atingível.

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...