sábado, 24 de novembro de 2012

Em busca do que não temos


O ser Humano tende ir à busca o que não tem. Se a mão esquerda estiver cheia, ele olhará para a mão direita vazia, lamentando por esta estar vazia.

Na verdade, este é um programa que corre no nosso cérebro, e que muita gente não dá conta. Aliás é este programa que nos faz os consumidores e dependentes que somos hoje. A crescente necessidade de mais e mais e mais, mais, mais................ufa, torna-nos pessoas que não importando o que tem estará sempre a olhar para o que não tem.

Existem pessoas que constantemente reclamam da sua vida, que olham sempre para o quintal do vizinho achando que o dele é sempre melhor do que tem em sua própria casa. Estas pessoas nunca parecem estarem satisfeitas,  estão constantemente a correr atrás do que não têm.

Para ter mais, deve valorizar o que já tem, deve lembrar-se do que já conquistou.

A amor e paixão do caos e desordem


Existem relações que são basicamente caóticas, não pelo facto de existir necessariamente desacordos mas pela falta de suposto "padrão" de relacionamento.

Muitas vezes a paixão por alguém aparece precisamente por esta pessoa ser exactamente o nosso inverso. É comum, quando um dos membros do casal é muito estruturado, o outro é de pensamento livre e caótico. Muita gente não compreende, inclusive os próprios porque motivo esta ligação funciona e é tão forte.

O que acontece na realidade está tudo relacionado com emoções. O namorado ou namorada normal, a relação cresce baseado num modelo quase premeditado "quase boring", tudo calculado, pré-visível, e por aí se vai desenvolvento uma relação. Esta relação eventualmente cria habituação ou dependência, que muitas vezes é confundido com Amor.

Nos casos caóticos, a beleza está exactamente não saber como será amanhã, não há programa, e a montanha russa de emoções muitas vezes são extremas saindo das mais baixas para as mais altas em questões de minutos. Por incrível que pareça, muitas vezes quanto mais a cônjuge retirar o outro do sério, mais paixão este terá. Quanto mais o fizer extravasar, rir, correr, assustar mais colado fica. A estratégia de dualidade de emoções, leva a um conflito tanto de emoções como de lógica. Existem vários exemplos, como a dor e o prazer, o quente e frio, discussão e sexo,  todas e várias combinações de diferentes sinestesias, provocam um conflito tal que faz com que a pessoa fique literalmente apaixonada.

O facto de não saber como será o próximo encontro, provoca um ansiedade, e está muita vezes tornam-se numa dependência, pois vive-se uma relação com muitos estímulos. E esse hábito muitas vezes cria demasiada expectativa sobre o parceiro e quando não correspondida pode criar atritos e estragar relação.

A verdade é que as pessoas que são caóticas nos relacionamentos, normalmente proporcionam ao parceiro mais vida, aventuras, jogos, dramas e tragédias, retiram o outro da zona de conforto, expondo-o sobre vários tipos de emoções. E este sobe e desce de emoções faz com que poucas horas com essa pessoa parecem semanas, pois elas aumentam a experiência do que é viver, pois vivem de forma intensa.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Equilíbrio e a força interior.



A autora deste texto pediu-me que postasses no blog, desta forma partilho com todos.

Muitas vezes nós esquecemos da importância de encontrar o nosso equilíbrio e a força interior. Quando a nossa vida está em aguas calmas, dificilmente estamos conscientes se nós falta ou não o equilíbrio. Isto só nós apareça quando a vida se torna difícil.

Sem entrar em muitos detalhes, eu própria me encontro numa situação em que a vida se me tornou difícil. Obviamente, a palavra difícil é muito subjetivo, e não iria significar a mesma coisa para todas as pessoas. Na minha situação, uma primeira gravidez com complicações, estando longe do pai da minha filha, redescubro a importância de encontrar o meu equilíbrio e a minha força interior.

Note que menciono sempre os dois em conjunto, porque na minha opinião eles vão de mão em mão. Desenvolvendo a força interior vai facilitar encontrar equilíbrio e o equilíbrio por sua parte, promove a força interior.

Nestes momentos difíceis, a companhia de entes queridos nós pode dar uma grande ajuda, mas nunca se esqueçam que tudo isto é fútil se não estamos bem com nós próprios. Por outro lado, uma pessoa equilibrada e na sua força, nem precisa de muita pessoa para passar por tempo difíceis.

Eu acredito que a vida me deu esta oportunidade para entrar numa nova dimensão do meu desenvolvimento pessoal e do meu relacionamento com o meu parceiro. É importante centrar-me e acalmar a cabeça, porque vamos ser sinceros, a cabeça pode ser um poço de veneno para o nosso bem-estar!

Eu haverei de encontrar a minha forma de entrar em contacto com a minha força interior e fortalecer o meu equilíbrio. Poderia dar monte de exemplo como eu acho que vou fazer isto, mas na realidade ainda não sei. A chave deve estar na nossa intuição. Ouvir a nossa voz interior. Não estou com a intenção de lecionar-vos, mas sim convidar-vos a entrar neste processo comigo. Porque quanto mais seres no mundo em equilíbrio e na sua força, mais equilibrada a consciência universal. Assim podemos dar mais um passo para o novo mundo.

Ainda gostava de referir às últimas profecias de Celestina, digo últimas, dado que acredito quem leia este texto, já entendeu e incorporou os primeiros quatro na sua vida:

5 – A única solução é cultivar uma conexão pessoal com o divino, uma transformação mística que nos enche de energia e amor ilimitados, aumentando nossa percepção da beleza e proporcionando auto-conhecimento.

6 – Neste conhecimento podemos liberar nosso controle e descobrir uma verdade específica, uma missão: estamos aqui para levar a humanidade a um novo nível de realidade.

7 – Em busca dessa missão, podemos descobrir uma intuição interna que nos mostra onde ir e o que fazer. Se nossas interpretações forem positivas, perceberemos várias coincidências que abrirão as portas da nossa missão.

8 – Quando várias pessoas entrarem nessa corrente evolucionária, sempre doando energia para as pessoas que encontrarem, construiremos uma nova cultura onde os corpos evoluem para um nível mais alto de energia e percepção.

9 – Neste caminho, participamos de uma longa jornada desde o Big-bang até o último objetivo da vida: energizar nossos corpos, de geração em geração, até encontrarmos um céu que possamos ver finalmente.

Quem viu o filme A Profecia Celestina, viu que quando descobriram a nona profecia, a energia de duas pessoas se complementou e aumentou. Mas até chegarmos lá, teremos de começar com a nossa própria energia. Qualquer situação nós permite desenvolver pessoalmente, não esperem até a vida vos obriga.
Abro o meu coração e dou o bem-vindo a todo ser que me quer acompanhar neste processo.

Autora: Marinka Papeleu

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...