domingo, 29 de novembro de 2009

Sugestão de post


Como alguns post nascem em resposta a preocupações expostas por pessoas que a mim chegam, este post quer dar a oportunidade de sugerirem algum tema que gostariam de ver abordado por mim. Estarei durante algum tempo fora do pais, mas estarei ligado.

Deixem as vossas sugestões
.

sábado, 21 de novembro de 2009

Julgar



Dado o comentário posto pela Anabela no post "Ter sabedoria", achei melhor responder de forma mais explicativa alguns pontos

"É da essência do ser humano julgar que é o mesmo que dizer escolher. usar o livre arbítrio não é muito mais do que julgar. é?

todos os nossos actos de consciência estão sujeitos a julgamento. Podes calá-los mas não impedes o seu julgamento. Não sendo feito por terceiros, porque os calaste, será feito pela consciência. Não há como escapar, é assim que aprendemos"

De facto está certo quando diz que é essência do ser humano julgar, mas isso por causa das influências sociais. As influências sociais definem determinados padrões que todos devemos de certa forma corresponder a eles. Ao contrário do que muitos possam pensar, julgar não é escolher e muito menos o uso de livre arbítrio.

Julgar é o acto de avaliar e condenar alguém pelo uso do seu livre arbítrio.

Realmente todos os nossos actos de consciência estão sujeitos a julgamento, mas é necessário perceber também que o resultado deste julgamento depende do que é a verdade para cada um. Consequentemente, o que é errado para alguns é certo para outros.

É necessário diferenciar entre avaliar e julgar. Avaliar como resultado obtemos sempre bom ou mal, mas não existe nenhuma condenação, ou sentença em relação ao resultado, ao passo que o julgamento tem sempre uma condenação.

Quando se refere ao não julgamento, é o respeito pelo livre arbítrio do outro ao nível de consciência e não ao nível de personalidade. Refere a absorver a pessoa, pela energia que emana e não pelo que os olhos vêm, a olhar para a pessoa para além daquilo que ela mostra.

Escolhas e preferências é tudo livre arbítrio os quais devemos respeitar. Há naturalmente certa dificuldade em interiorizar o não julgamento, principalmente porque a maior parte das pessoas, olha para o julgamento como resultado de um crime e que se vai ao tribunal e o réu é preso ou absolvido. Mas o que se refere é para além da lei dos homens, porque o réu condenado por um tribunal, não é um réu condenado pela consciência, e é a sua própria consciência que o condenará e o julgará.

O sistema judicial só serve muitas vezes para aprisionar um corpo, ou seja, a matéria, mas não a consciência. No entanto, esta prisão física muitas vezes dá o tempo necessário para que o réu se encontre com a sua consciência, daí muitos prisioneiros se tornarem religiosos.

A nossa dificuldade em aceitar o simplesmente SER, nos assusta, porque não queremos ser julgados à margem do que são os ditos padrões sociais, daí a grande necessidade do TER.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Ter sabedoria


Aquele que tem sabedoria; não diz sempre a verdade, não expressa sempre a sua opinião, não diz tudo que pensa, observa ao seu redor, pensa antes de se exprimir e mantém o segredo somente com ele.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Viver Positivo



Não seja contra algo,
mas sim a favor do resto.


Não encare estar sozinho como solidão,
mas sim como um momento consigo mesmo.

Não viva para o que não gosta,
mas sim para o que gosta.


Não olhe o problema no ponto de vista do problema,
mas olhe para ele no ponto de vista da solução.


Não julgue,
se puder, ajude.


Não encare as lágrimas como fraqueza,
mas encare como expressão da alma.


Não foque na morte,
olhe para o novo nascimento.


Não olhe a falha como perda,
mas sim reveja a experiência que adquiriu
.

Não lamente pelo que ainda não tem,
mas abençoe o que já conquistou
.

Não passe as tristezas em desespero,
mas pense num processo para ficar alegre.

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...