sexta-feira, 9 de julho de 2010

A dor



Hoje vi uma rapariga muito triste no metro, e disse-lhe o seguinte:

- As vezes o mais importante não é a dor que sentimos, mas o que aprendemos sobre nós mesmo e sobre outros na dor que passamos

O significado destas palavras são importantes, porque leva a uma outra forma de pensar. Boa parte das pessoas quando passam por algum momento de dor ou mágoa ficam aprisionadas neste sentimento, principalmente se esta dor ou mágoa tenha sido despoletada por outra pessoa. E como as pessoas assumem que têm que sofre, tornam-se reféns  deste emoção entrando no ciclo da dor. Muitos abraçam tanto essa dor de tal forma que incorporam na sua mente que soltar a dor é perder a própria personalidade ou vida, isso porque têm medo de perder este sentimento e emoção, visto que estão tão habituados a conviver com ela.

Certa vez disse a uma amiga que ele sofria porque escolheu assim, ele se sentiu ultrajado, porque disse que ninguém quer sofre, no entanto não é bem verdade isso. Para aquelas pessoas que sabem diferenciar a mente e a alma, perceberão que muitos dos sentimento só os sentimos porque o aceitamos e nada fazemos para mudar porque no nosso sistema de crenças é suposto sentir assim. Complicado não é? hihihihi. 

Sugiro o seguinte exercício, tente encontrar algo que acredite independentemente das massas não acreditarem, verá que todos nós em geral vivemos num sistema de crenças, o dinheiro inclusive é um sistema de crenças, porque é um papel que todos nós acreditamos e aceitamos como tendo valor.

Com a dor também é um sistema de crenças em certos caso, pá certos casos porque dor dente doí mesmo....se bem que supostamente também se pode manipular.... mas doí. Aquela pessoa que sofre muitas vezes por fim do relacionamento e que acha que não irá encontrar outra pessoa, sofre porque quer acreditar nisso. É mais que natural que as mudanças causem dissabores, grande rupturas, no entanto é preciso passar por esta dor no sentido de aprender, principalmente a nos levantarmos.

O aprendizado é muito importante, tipicamente quando aprisionados na dor, a pessoa ou procura culpados, ou se vitimiza. Procurar culpados ou vitimizar-se, não ajudam ao aprendizado, porque não nos ajuda a analisar a situação nas várias perspectivas. A aceitação do que ocorreu e a auto-análise do nosso próprio comportamento e do outro  (caso exista) nos permite aprendermos o que está realmente a acontecer e obter lições em relação a isso.

Se tem dor não a carregue como se fosse sua, ninguém tem que ser mártir se não quiser. Aprenda com ela, aprenda cada sentimento e pensamento que lhe passa enquanto tem a dor  e a transforme.

2 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Pois é. Eu estou na fase de culpar as pessoas e também me culpar, pois sei que grande parte do meu sofrimento vem do fato de eu não aceitar a realidade de muitas coisas.

O homem e a mente disse...

Então não julgue, aprenda ;)

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...