sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A necessidade de atenção

A atenção no sentido de dar atenção a qualquer coisa é uma forma de canalizar energia sobre determinado assunto. Neste texto pretendo falar da atenção requerida e muitas vezes exigida no seio de uma relação social.

Existem crianças e adultos com uma grande necessidade de atenção por parte de outras  pessoas, no caso das crianças muitas delas requerem muita atenção dos pais [menino hiperactivo], e no caso dos adultos normalmente do seus cônjuges. Muita desta necessidade está relacionada com a infância e com o tipo de educação e atenção dada pelos pais. Muita da necessidade de atenção, também está relacionada com a necessidade de que alguém cuide de nós, ou se responsabilize por nós. Normalmente quando existe um excesso de atenção por parte dos pais sobre os filhos, eles tendem a querer ter a mesma atenção dos cônjuges (também ocorre precisamente o oposto :) ). Mas esta necessidade se desenvolve dependendo muito do tipo de criança e dos pais, pois existem crianças que gostam naturalmente se serem independentes enquanto outras gostam mais de ser dependentes.
As crianças independentes tendem a não necessitar muita atenção por parte dos pais, preferem aprender a fazer sozinhas do que os pais façam por elas. Esta forma de estar tende a manter-se até a idade adulta, tornando-se pessoas muito autónomas. Ao contrário as crianças mais dependentes, essa dependência pode vir não delas mesmas, mas sim do excesso de protecionismo dos pais, criando na criança essa necessidade. Isso torna a criança insegura, porque o excesso de proteção dos pais, passa no subconsciente da criança a sensação de que está sempre em perigo. Esta sensação transporta-se muitas vezes para idade adulta, tornando numa pessoa de natureza insegura, pouca capacidade de exploração da vida para além dos limites já ensinados pelos seus pais ou pelos seus próprios medos desenvolvidos.
A nível energético, a necessidade de atenção é também uma forma de vampirismo. Normalmente as pessoas com uma grande necessidade de atenção, tendem a sugar a energia das  outras pessoas. Este sugar de energia não é necessariamente feito de forma consciente, mas é muitas vezes o motivo pelo qual existe essa fome por atenção. Também muita vezes está relacionado com a responsabilidade e em tornar independente. Muitas pessoas não são energeticamente independentes o que as faz serem pessoas que precisam de estar com as atenções voltadas para si para poderem carregar as suas próprias energias, sugando as das outras pessoas. Daí a sensação que muita gente sente de desgaste quando estão com pessoas que requerem essa atenção.

O desgaste também pode ocorrer no relacionamento amoroso, fazendo com que muita das vezes a atenção exigida esgote a outra pessoa. Esse esgotamento está muito relacionado também ao nível de necessidade de atenção de cada um, existem pessoas que requerem mais atenção que outras.  As pessoas que requerem muito mais atenção, muitas vezes a atenção dada pelo cônjuge não é considerada suficiente, porque muitas delas querem dispor da outra pessoa sempre que necessitem de alimentar-se. Toda esta fome vem da insegurança constantes da pessoa e por este motivo quer sempre sentir-se protegida.
É comum esta fome tornar a pessoa egoísta, focada somente na sua própria necessidade a qualquer custo. E quando esta fome não é saciada cria frustração que podem afetar o relacionamento. A necessidade de atenção pode vir também disfarçada de necessidade de cuidar dos outros. É comum que as pessoas com estas necessidades gostem muito de cuidar dos outros, o que não é mau por si só, o problema está no fato de muitas delas cuidarem dos outros como forma de garantirem que façam o  mesmo por elas, como forma de investimento para obter atenção.
É necessário estar bastante consciente desta necessidade se de alguma forma que pretende trabalhar nelas. Ter atenção é bom, mas deve ser na forma de partilha, tal como o AMOR. Quando é uma necessidade deixa de haver partilha, passa a ser um vício, o que torna a pessoa uma sugadora de energia. Alguém com esta necessidade precisa aprender a estar consigo mesmo e sentir-se feliz. Porque o grande problema que tem na realidade é não amar a si mesmo e não se sentir segura por si só. É preciso aprender a não depender dos outros, não significando que não possa gostar de ter atenção, mas não deve ser uma necessidade, mas sim uma consequência de gostar de estar com alguém
A evolução para alguém com está necessidade começa por ter consciência dela. A seguir, deve começar a praticar a confiança em si mesmo, uma boa técnica é apreciar-se no espelho, escrever coisas que gosta em si. Pode treinar quando chega a emoção de fome por atenção, estando consciente do momento que está  passar, regular a respiração para uma respiração mais profunda com inspirações e  expirações mais espaçadas. Fazer afirmações para si mesmo, com voz audível, quando possível, também é uma forma de reprogramar a própria mente, ouvindo a própria voz e a vibração dela no corpo. As vezes também descrever em papel o que sente ajuda a compreender melhor a si mesmo e todo o seu processo emocional. Todo essa necessidade é uma questão de auto-estima, de falta de amor próprio, responsabilidade da criação da própria vida e insegurança.

Para sermos felizes, mesmo com outra pessoa, é preciso trazermos a nossa parte de felicidade para partilhar juntamente com essa pessoa, e não simplesmente esperar pela felicidade dos outros.

32 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Eu entendo disso, Deus, como entendo. Quantos anos perdi da minha vida exigindo a atenção dos outros, sugando suas energias, afastando-os de mim.
Acho que o ser humano é naturalmente carente, todos querem atenção, mas como tudo em nossa vida, todas as nossas necessidades, essa também precisa ser dosada, caso contrário pode ser nocivo não só para você, mas todos do seu convívio.

O homem e a mente disse...

muito obrigado pelo comentário, valeu amigo. Abraço grande

Lirium disse...

Gostei do post, e igual que o Eduardo, reconheço muito. Já estou trabalhando no assunto há algum tempo!

Mas só quero apontar que o contrario também pode causar problemas nos relacionamentos. Uma pessoa demasiada independente pode esquecer de partilhar, porque não sabe como deixar alguem cuidar dela. Essa pessoa talvez sabe dar, mas não sabe receber, porque a final de conta, ela sabe fazer tudo sozinha, é independente.
O não saber receber é igual obstáculo que requerer atenção. Afasta as pessoas. Porque se falamos de amor e de partilha de energia, uma pessoa demasiada independente interrompe esta partilha, não deixa a outra pessoa entrar na sua vida.

E também temos as pessoas independentes que não deixam que a pessoa que requer demasiada atenção lhes suga a energia. Se es uma pessoa emocionalmente dependente e queres mudar, é esse tipo de pessoa que tens de encontrar, Porque sempre estarás confrontado com a tua necessidade de atenção. Dado que esse tipo de pessoa não deixa que tu sugas a sua energia, a pessoa dependente se sentirá rejeitada. E aí depende da pessoa dependente o que vai fazer. Ou dará a volta para encontrar outra pessoa de quem sim consegue sugar a energia, ou reconhece a situação com o momente perfeito de aprender e soltar-se dessa necessidade.

Eu própria optei a última ;)


Bom post, como sempre!

O homem e a mente disse...

Sim tudo em excesso é fica fora do equilíbrio. As pessoas independentes quando desequilibradas tendem a afastar a pessoa, mas eu normalmente não acho que seja independente, normalmente essas pessoas querem parecer independentes como forma de se sentir seguras. Na realidade estas pessoas escondem-se de um medo, da deceção, da perda, ou de falhar. Então como forma de proteção tentam não precisar dos outros como forma de ninguém dececionar as suas expectativas. Digo isso porque mesmo as pessoas independentes gostam de atenção, mas pode ocorrer que para diferentes pontos de vista algo que é considerado atenção para o companheiro para outra pessoa é uma atividade natural e vice-versa.

No universo quanto mais perder determinadas necessidades, vai reparar que elas passaram a serem preenchidas. É como aquela pessoa que anda muito atrás do amor dos outros, a tentar agradar sempre o outros e não consegue. quando ela deixar de o fazer e começar a amar a si mesmo, verá serão as outras pessoas a quererem estar com ela.

Anónimo disse...

Entendi que nao devemos ficar tristes por nao ter a atencao do marido por exemplo, pois as pessoas sao livres para nos amar. Mas quando a pessoa nao da a atencao para nos, isso significa que ela nao nos ama, nao nos deseja, pois se sim, ela estaria mais empolgada em buscar nossa presenca.... E nao vejo como nao ficar triste com isso... E isso mesmo?

O homem e a mente disse...

Existe diferença ter a necessidade de atenção e não receber atenção do marido. Quando falo da necessidade de atenção não quer dizer que deva deixar de precisar de atenção e que deva ficar satisfeita por não ser dada, mas sim que a busca de atenção tem que ser na base de partilha e não de sugar as energias do outro.

Se o marido não dá nenhum atenção não é o mesmo de ir atrás de atenção, por motivos alheios essa pessoa não quer partilhar a sua energia. Aí para quem está numa relação há mais do que motivo para sentir a necessidade não de atenção mas de partilha. Neste sentido o melhor é uma conversa conversa aberta sobre o assunto.

Eliziane Oliveira disse...

Eu gostei muito do texto, sério. Só deu muito mais vontade de me aprofundar nesses assuntos. Parabéns!

O homem e a mente disse...

Muito obrigado, volte sempre.

Anónimo disse...

texto perfeito, compreensivo demais.

O homem e a mente disse...

Muito Obrigado

Anónimo disse...

Muito bom! Veio como uma luva!

Anónimo disse...

Tenho sentido muito essa carência ultimamente.. Estou 8h por dia em frente a um computador e não falo com ninguém (ou ninguem fala.. da vida, de nada, do almoço, da novela, dos filhos, filmes, de qualquer coisa que nos dê mais ânimo para trabalhar..), a não ser que ligue a alguem, mas... normalmente é na hora do almoço, e.. estão ocupados com as suas vidas.. o que eu compreendo.. fico triste, porque cada dia é igual ao de ontem.. eu gosto do meu trabalho e será que esta necessidade que eu sinto é como diz o texto, um pouco doentia? tenho de aprender a gostar de estar sempre comigo mesma..

ohomem eamente disse...

O seu caso o que precisa é não esconder tanto o amor que tem dentro de si. O que se passa é que é alguém que quer atenção mas tem a sua luz coberta. Ora, se não deixa a sua luz brilhar ninguém a vê. Tem que deixar exalar a sua luz, o meu amor incondicional para o exterior, e isso atrairá a luz de outros. Abre ao universo, e ele se abrirá a ti.

Ednéia Rodrigues disse...

O meu caso é do mesmo jeito que o anonimo disse, eu trabalho o dia inteiro em frente ao computador e geralmente nao converso com ninguem. sou muito carente mesmo, tem horas que abraços meus filhinhos e choro ate..
desde pequena nunca tive muita atençao de meus pais, cresci com muito medo, temores que enchiam minha cabeça e ninguem pra mim conversar. Desde cedo na escola nunca tive muitos amigos, ninguem me cercava e isso sempre me deixou triste. cresci desse jeito, e hoje não tenho nenhum amigo, nenhum mesmo. mas hoje percebi que o erro esta em mim, eu sou muito dependente das pessoas preciso que aprovem o que eu faço, se nao aprovarem eu choro, é incontrolavel, eu simplesmente começo a chorar e pronto.
Fique ansiosa pra alguem me mandar uma mensagem no celular, se nao mandam eu fico triste, eu mando mensagem pra todo mundo esperando que me retornem, mas poucos me retornam e eu fico super mal por isso..
sou super carente de atençao...fico com transe por isso...nao consigo fazer as coisas sozinha, sempre preciso de alguem pra me dar apoio se nao nao tenho coragem de fazer..

preciso me tratar, urgente.

ohomem eamente disse...

Ednéia

Tudo isso é criado por nós. Temos que entender qual é o compromisso da nossa alma, para percebemos as arestas que temos que limar na nossa evolução espiritual. Toda a insegurança que sente é precisamente porque a sua alma precisar de aprender a ser independente. Quando quiser, escreva para o meu email

Larissa :* disse...

Olá, adorei o texto, achei ele na hora certa. Queria muito poder evoluir rapidamente a ponto de não me sentir mais necessitada de tanta atenção... Infelizmente isso não acontece de uma hora pra outra. Costumo também culpar os outros pelo o que estou sentindo, pois é muito difícil reconhecer que o erro e a infelicidade está vindo de nos mesmo... O sentimento de insatisfação frente a atitude dos outros sempre reina. Mas agradeço muito o texto, está me fazendo refletir muito! Saiba que ajudou uma pessoa hoje. Tudo de melhor pra você :)

ohomem eamente disse...

Obrigado, e disponha.

Emm disse...

Nossa eu aqui procurando saber por que sinto tanta necessidade de falar e pá... descubro que sou uma sugadora de energias.
Como no texto fui cercada de mimos até os 5 anos por meus pais, depois me jogaram de lado,em troca ganhei a atenção de quase a escola toda (se eu não chama se a atenção deles por bem ia por mal mesmo) sempre manipulava meus amigos e amigas e eles faziam o que eu queria quando eu queria, na fase adulta não me sobrou nenhum deles.
Como no texto sempre fiz muitas coisas para os outros,mas sempre esperando algo em troca no futuro.
Hoje não tenho amigos, somente os colegas de trabalho e resolvi procurar ajuda em algum lugar por que como vc pode ver não consigo parar de falar, e acho que encomodo as pessoas com esse meu jeito!
Mas é tão difícil, sofro tanto por falta de atenção,que não sei mais oq fazer😞

ohomem eamente disse...

Escreva para o meu email

Anónimo disse...

OLÁ, CADA DIA QUE SE PASSA FICO MAIS INSEGURA E PROCURO PESSOAS PARA SUPRIR A MINHA NECESSIDADE DE ATENÇÃO

ohomem eamente disse...

Se quiser pode escrever para o meu email ohomem.eamente@gmail.com e podemos conversar de desejar.

Pedro disse...

Meu caso é exatamente o da emm, minha mãe perdeu um filho de 1 ano em um descuido mínimo. Ela se ausentou dele por poucos minutos e ele morreu asfixiado. Alguns anos depois eu nasci e recebia muita atenção,porem a partir dos 6 anos está atenção virou nula e na escola e na minha rua eu conseguia ter a atenção de muita gente, comecei a ser brincalhão e caridoso com todos para receber esta atenção. Qnd comecei a vida adulta isso começou a afastar as pessoas de mim, nunca na minha vida me senti só por tanto tempo, machuca muito porque eu meio q já suspeitava q essa necessidade de atenção era anormal e ia me afastar dos meus amigos

ohomem eamente disse...

O que se passa é que quando tem esta necessidade de atenção a energia a sua volta manifesta ansiedade, pedido de retribuição. É necessário que o Pedro perceba que enquanto quiser esta atenção, o universo fugirá de si. É um dos propósitos da sua alma, aprender a superar isso.

Um exercício que pode fazer é se tornar "NEUTRO". Este exercício baseia-se em estar entre amigos mas estar como se não estivesse presente no sentido de intervir pouco. Não é para ficar com cara de zangado ou triste, fique normal, mas fale pouco oiça mais e principalmente observe mais.

Outro exercício que deve fazer é a satisfação próprio. Sempre que fizer algo de bom elogie a si mesmo, mas não partilhe. Por exemplo se comprou um carro novo, não diga a ninguém. De reparar que eu não disse para esconder, disse para não ir logo contar a todo mundo. simplesmente apareça.

Toda essa necessidade de atenção na realidade é porque não se aprendeu a preencher o seu próprio espaço dentro de si.

Anonimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anonimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Davi disse...

Eu estou passando por um momento assim, eu necessito a todo instante s estar com minha esposa, exigindo dela carinho,atenção ...Aí faço de tudo por ela..depois espero um retorno, muitas vezes não é correspondido, estou fazendo tratamento psicológico mas ainda sinto muita insegurança deixando de fazer as coisas que eu gosto para ficar dentro de casa com ela.. alguém pós me ajudar??

ohomem eamente disse...

Para ajudar é necessário saber o porquê deste sentimento. Responda para si mesmo o seguinte

1. De quê tem medo quando não lhe é dada atenção?
2. O que sente? Escreva tudo que vai na sua cabeça quando está neste momento de privação
3. Pergunte as pessoas mais próximas como eles o vêm.

Se quiser, pode escrever para mim,

CP disse...

Estou diariamente à exigir atenção da minha parceira.
Ocorre que, sempre dou a atenção que ela necessita, sempre estou ali para quando ela quer conversar, mas isso já não ocorre por parte dela.

Fica ausente por minutos, horas, e nem se quer deixa um "pré aviso de ausência" do tipo: ei, terei que me ausentar agora, falo com você depois! Então, quando busco essa atenção, por parte de qualquer assunto, não a recebo de forma momentânea e também não sei quando é que ela retornará para que tal coisa aconteça. Então vem o momento de frustração e consequentemente a tristeza.
Já cheguei a conversar com ela, já discutimos diversas vezes por isto, ela sabe o quanto eu odeio "ficar falando sozinho", mas ainda assim o faz.

E, o que me deixa mais angustiado, é que sempre que ela me procura eu estou ali para ela, respondo no mesmo instante, faço o possível e impossível pra sempre estar disponível a ela, e a não reciprocidade disso é o que mais me dói.

Talvez seja sim o jeito dela "distraído", mas, o que posso fazer para o meu EU?! Tenho sim problemas com ansiedade, mas, tento controlar ao máximo quando misturado com a necessidade de atenção, pra que tudo não vire uma bola preta de dor dentro de mim.

Digo, como eu posso continuar sendo tão presente a ela, e ter que acostumar com os momentos de ausência da mesma, sem que me frustre ou magoe?!
Pois isso tem atrapalho e muito nosso relacionamento. Todos os momentos em que isso acontece, eu só consigo pensar em terminar, e aprender a ser cheio comigo mesmo. Sem a dependência alheia.

ohomem eamente disse...

Meu Caro,

Muitas vezes o que está acontecer está somente relacionado com a sua própria necessidade. Eu particularmente acredito que deva existir equilíbrio. Talvez o problema é que ela o tenha muito por garantido sempre que ela precisa. Não se consegue mudança se mantém os mesmos comportamentos.

Lembra que relação é partilha. Então deve equilibrar um pouco a balança tanto no que dá como no que não dá. Sugeria que reduzi-se um pouco a sua disponibilidade, aguentasse a ansiedade. Será um bom treino para os dois. No dia que ela vier para si reclamar a sua distância, o que vai fazer é perguntar como ela se sentiu em relação a isso. Quando ela falar as tristeza e angústias que sentiu ai diga a ela que é isso que sentiu também.

Existem pessoas que precisam de mais afecto que outras. Outras existem que podem estar a sua frente mas eles têm um espelho na cara que só lhes deixa ver tudo no ponto de vista dela. Este exercício vai ajudar a retirar a dependência. Repare que o sentir falta não é errado nem problemático, mas depender ou necessitar sim.

É muito bom que tem consciência da sua necessidade e tenta controla-lá. Mas o controlo é baseado no medo, é repressivo e não quem você é. O que vai fazer é em vez de o controlar o transformar.

Se sentir triste vai transformar nas lembranças felizes que essa pessoa a trás para sua vida, porque na realidade é isso que faz querer estar com ela. Se não responde logo, não preencha o silêncio com solidão, mas transforme este silêncio numa ocupação sua, porque também é importante estar consigo mesmo. Não cobre respostas e sim partilhe amor. Lembra que tal com ela pode aprender que você precisa muito de atenção, você também pode aprender que ela é distraída. Lembra o filme A Procura de Nemo. A Dora esquece muito, mas nunca esquece de quem AMA.

hsc disse...

Ola emm,não fui como vc na infância, mas tinha uma família com 11 pessoas convivendo juntas dia a dia briguinhas ou ate msm nos murros c os irmãos. Mas todos juntos. Hoje to numa situação oposta minha esposa separou e levou meu filho e me sentia antes disso muito confortável e com a mudança e meus irmãos distanciaram e já tive depressão pesada, hj estou como vc sinto a necessidade de desabafar com alguém, porque a separação ne deixou sem vontade p nada porque foi como se tivesse caído num poço fundo derepente. Mas sinto o mesmo que vc já são 8 meses e não to vendo solução porque as pessoas que diziam amigas fogem de min ou então já mudam p um assunto p eu não falar do meu problema. Ai e so sofrimento, angustia e ansiedade. Pensamentos negativos. Morro em cidade pequena e não tem onde ta passeando p sair de casa qdo mao estou trabalhando. Isso ta consumindo as minhas energias ao contrario do que falam no blog, que pessoas igual nos consomem energia dos outros acho por conseguir isso, agente acaba consumindo a nossa. Infelizmente. Esqueci de dizer meu filho não conversa comigo e a mulher também acho que esse e o motivo perdi a companhia deles.

ohomem eamente disse...

HSC,

Já pensou o que está a fazer de errado para que isso tudo esteja a acontecer? Porque motivo houve a separação, já pensou nisso. Se quiser pode escrever para mim no privado, mas o primeiro exercício que deve fazer é escreva tudo que sente, escreve para si mesmo. Escreva tudo que se passou e porque acha que houve separação. Escreva sobre o seu filho e sobre a sua mulher. Depois de escrever tudo isso, Leia o que escreveu.

Se tiver coragem peça ao seu filho e mulher que escreva sobre si no ponto de vista de como eles o vêm, terem medo de magoar. Pede dizendo que faz parte de uma terapia. Depois compare as cartas deles com as suas.

Depois disso podemos falar.

Eliziane Souza disse...

Noossa!! Muito bom esse texto... me ajudou muito. Sempre fui muito bajulada pela minha família. Tinha dez tios por parte de mãe e era a neta mais velha dos meus avós. Tbm no ensino fundamental recebia muita atenção mas foi só até aí. Tenho "problemas em minhas relações" com as pessoas e descobri q está super relacionado com minha excessiva necessidade de atenção. Faço psicologia e sinto necessidade de algumas modificações e superações para ser uma profissional melhor. Obrigada pelos esclarecimentos.

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...