terça-feira, 30 de março de 2010

A falta de consciência



A falta de consciência nos faz aceitar

Autoridade como verdade  e não verdade como autoridade.
A ignorância como sentido para ser feliz.
Que Deus é que controla tudo.
Que ser feliz é TER e não SER.
Que somos os donos da Terra.
Que as coisas acontecem por acaso.
Que quem tem que governar e cuidar de nós é o estado.
Julgar sem conhecer os factos.
Julgar sem ajudar.
Para vencer temos que derrotar os outros.
Que a realidade e verdade é o que passa na TV.
Que a responsabilidade de melhorar é dos outros.
Que a consciência está no cérebro e na racionalidade.
Ser escravizados por uma minoria rica que nos faz acreditar 
que fazendo isso chegaremos onde eles estão.
Que o poder está com os outros.
Que precisamos ser vítimas
para que sintam compaixão por nós.
Que ser boa pessoa é agradar sempre aos outros.
Que somos o que a sociedade diz que somos.
A inveja, o maltrato a injustiça como certo,
desde que não seja connosco, ou possamos
culpara a outro.
Que os factores financeiros tenham mais
importância que o factor humano.
Que tudo é válido para se ter lucro.
Que alienação dos jovens é bom.


Para onde caminhamos com a falta de consciência?

11 comentários:

angela disse...

Não será para um bom lugar om erteza.
Reuniu bem varios pensamentos enganosos.
beijos

Búh Vilhena :D disse...

Concordo, em gênero e grau ;P

Eduardo Montanari disse...

Eu já não diria que é falta de consciência, mas sim de auto-conhecimento. Qundo você realmente se conhece, sabe do que precisa, sabe o que te basta.

Carolina Jorge disse...

Caminhamos para um mundo onde ninguém vive, mas todos sobrevivem. E percorrem a vida de olhos semicerrados sem realmente os abrir e observar o que os rodeia, mas sem nunca os fechar e olhar para dentro. Adiam a vida até que esta acabe. E Eduardo, nós não vivemos sozinhos, se assim fosse auto-conhecimento seria a única coisa que nos faltaria, mas isso é ilusório, temos de saber ter os olhos fechados e virados para nós mesmos, mas também abri-los para o mundo que nos rodeia e tomar CONSCIÊNCIA, esta tambem é essencial para sabermos quem somos, porque se foi neste mundo que crescemos e nos educaram, que formámos parte de nós, é ao conhecê-lo que tambem nos conheceremos. Portanto o auto-conhecimento é inseparável e inexistente sem consciência, na minha opinião.

O homem e a mente disse...

Infelizmente é verdade

Rosa Azul disse...

Somos todos uns robocops telecomandados hihiihihih.
Nacao global de zumbis.
Ta certo tudo ai.
Pior 'e saber disso tudo e aceitar conscientemente.

Anabela disse...

Viva
"há quanto tempo te não via
e que saudades Deus meu"
O esmagamento da vontade pelo social poderia ser um bom titulo para o teu texto ou a vitimização e a inércia na construção social.

O mundo é feito de Força e de fraqueza, de Liberdade e de cárcere, de Racionalidade e de emoção, de Igualdade e de exclusão e em nenhum há Razão. não há ninguém que seja totalmente Livre, Igual, Racional. A consciência social e o auto-conhecimento são companheiros de caminho na procura individual do ponto de equilíbrio das antíteses sociais que nos permitem o equilíbrio interno.
As estruturas sociais nunca se encontram em repouso e quando pensamos ter equilibrado um momento entre nós e o social; -mudou o ponto de aplicação da nossa força e o desequilibro instalou-se novamente produzindo fraquezas em nós.
A vida é uma grande roda, é preciso saber estar em cima como em baixo. É preciso ter em cima como em baixo a alegria pro-activa de viver. Não dar espaço ao desanimo e à inércia. É preciso força de carácter para não dar espaço à vitimização.
Encarar a vida como um espaço onde o individuo acrescenta ao social é um acto de coragem de quem vive de rosto levantado mesmo quando erra.
Mas isto sou eu a dizer porque eu a fazer é muito, mas mesmo muito, mais difícil.
Bom dia
Viver

O homem e a mente disse...

Sim estive desaparecido, com exames e muito trabalho, mas passei a todos exames e só estou a fazer a tese de mestrado e trabalhar.

...e acima de tudo é preciso nós compreendermos que temos força como um todo se tivermos uma consciência mais desenvolvida.

Beijo grande

Carolina Jorge disse...

Iria gostar sim, obviamente! Muito obrigada.
Soa como clichê, mas a verdade é que existe um artista dentro de todos nós. Vou lá frequentemente, nasci lá, adoro a cidade e é provável que para o ano vá para lá viver. Sou uma alfacinha autêntica ihih

Stella Tavares disse...

Como não concordar? Seus textos são sempre tão verdadeiros, reais, reflexivos...
Bjs

Anónimo disse...

ACHO QUE SOMOS REFÉNS DE NÓS MESMOS,EM RELAÇÃO A CRENÇA DE UM MODO GERAL E PELO FATO DE SERMOS VULNERÁVEIS E SUCETÍVEIS A DOENÇAS,SOFRIMENTO E MORTE.ESSE CURTO ESPAÇO DE TEMPO QUE PASSAMOS NESSA TERRA E DE NÃO ESTARMOS PREPARADOS POR SABERMOS QUE MUITO BREVE, NÃO MAIS EXISTIREMOS É QUE FAZ DO HOMEM DE UM MODO GERAL,LIGADO A TODA ESSA GAMA DE CRENDICES,MUITAS VEZES EQUIVOCADAS E ABSURDAS.DESDE OS PRIMÓRDIOS EM QUALQUER POVO,TRIBO OU NAÇÃO NA FACE DA TERRA O HOMEM TEVE A NECESSIDADE DE ESTAR INTRÍSSICAMENTE LIGADO A ALGUMA DIVINDADE.(E EM MUITAS OCASIÕES SE AUTO-ENTITULANDO "deuses".o QUE EU ACHO,NA MINHA IGNORANTE OPINIÃO,É QUE DEVÍAMOS OLHARMOS MAIS PARA NÓS MESMOS COMO UM TODO E FAZERMOS A NOSSA PARTE,AO INVÉS DE PORMOS A INCUMBÊNCIA PARA ESSE OU AQUELE "deus".O FATO É QUE ATÉ AGORA,SÓ VIVEMOS DE HIPÓTESES,FÉ,HIPOCRISIAS,UM MONTE DE SUPOSTAS VERDADES(CADA UM TEM A SUA )E,DE TENTARMOS "ENFIAR NA CABEÇA DOS OUTROS,TUDO AQUILO QUE ENTENDEMOS".GOVERNAR SEM OPOSIÇÃO,ÀS VEZES É FÁCIL.(QUENDO OS SÚDITOS SÃO UM BANDO DE IGNORANTES,CEGOS E FANÁTICOS).MAS O CONHECIMENTO,DEIXOU DE SER MONOPÓLIO,HÁ TEMPOS "E NINGUÉM ENLOUQUECEU".SÓ LAMENTO NÃO MAIS ESTAR AQUI,QUANDO A HUMANIDADE DESCOBRIR,QUE PODE "ANDAR COM AS PRÓPRIAS PERNAS QUE SEMPRE ANDOU... (CRÍBC).

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...