segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Pablo Neruda


"Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem

......... não muda de marca, não arrisca vestir uma cor nova e não fala com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro ao invés do branco e os pingos nos iis a um

......... redemoinho de emoções, exactamente o que resgata o brilho nos olhos, o sorriso nos lábios e coração aos

......... tropeços.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto

......... para ir atrás de um sonho.

Morre lentamente quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, ouvir conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte, ou da chuva incessante.

Morre lentamente quem destrói seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, nunca pergunta sobre um assunto que

......... desconhece e nem responde quando lhe perguntam sobre algo que sabe.


Evitemos a morte em suaves porções, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples ar que respiramos. Somente com infinita paciência conseguiremos a verdadeira felicidade."

4 comentários:

Catia Graça disse...

Sendo a palavra CORAGEM definida como: do Lat. cor, coração.
s. f., firmeza de espírito, energia diante do perigo; intrepidez;ânimo; valentia; perseverança.

Ajuda-nos a perceber o porquê de andarmos a morrer aos poucos ...

Temos as coisas diante de nós apenas temos de ter a CORAGEM de as experimentar (mas de forma consciente).

No entanto, a atitude é: "bom já que tenho de viver" e tenho RECEIO (de recear. s. m., temor; hesitação ou incerteza acompanhada de terror; apreensão.)do que possa estar por de trás disto (situaçao), entao vamos deixar a "vida" passar, e eu "lorde" sentado nesta poltrona apenas agarrarei os "alimentos" que chegaram ate mim através das bandejas que passarem junto a mim, assim só terei de esticar o braço,...

Mas será que esses "alimentos" (oportunidades / situaçoes) vindos na bandeja serão assim tao saborosos? ou será que apenas nos chegarao "restos", ou "alimentos" envenenados? isto se a bandaja nao vier já vazia ...

Pois é, vamos continuar sentados neste "cadeirao" (receio), ou vamos ser capazes de encarar a vida?

Posso dar o exemplo da televisao, sendo que a informaçao passada é seleccionada (conforme eles entendem e convem) e nós apenas nos limitamos a recebe-la sem nos questionarmos. (e posso referir isto como sinonimo da bandeja de "alimentos" que por nós passa).

Cabe-nos a nós mudar e passar a saber viver (nem que seja aos poucos).

O homem e a mente disse...

É isso mesmo amiga, quando digo as pessoas que não raramente vejo tv, ficam admiradas, geralmente só notícias.

Acho que se pode fazer tudo um pouco, mas noto que as pessoas cada vez mais prendem-se à televisão, computador e video jogos, e muitos perdem a capacidade de comunicar e viver numa sociedade. Há que se aproveitar a vida e aprender com ela é importante que saibamos partir para aventura.

Adorei o que escreveste. Tenho tido pouco tempo....:)

Catia Graça disse...

Obrigada querido ;o)
Eu sei, mas tambem ja viste o que escrevemos este mês! As pessoas têm muito por onde pegar para reflectirem, enquanto nao tiveres possibilidade de escreveres.

:oD

Estás no meu coraçao, qualquer coisa sabes onde me encontrar!

fernando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...