quinta-feira, 12 de junho de 2008

A minha Mãe


A minha Mãe,

Mulher de infância difícil, marcada por um crescimento duro, com a ausência de uma Mãe. Marcada pela ausência de carinho, atenção, de presentes, até mesmo nas épocas festivas, em que chorou de tristeza e foi castigada.

Marcada pela educação com madrasta, em que ela e seus irmãos da mesma Mãe, eram tratados de forma diferencial, e estes, estavam sempre unidos, pois partilhavam todos a mesma infância difícil. Numa época em que a educação era feita com punhos de ferro, muito valeu a intervenção do irmão, que muitas vezes aceitava culpas, para que a irmã não fosse castigada.

De entre lágrimas, tristezas e sorrisos, sim sorriso, pois haviam também sorrisos, quando o Padrinho tão adorado a levava daquele lugar onde habitava, onde servia mais como empregada de casa do que filha, e esta é a memória mais feliz de sua infância.

Fez-se mulher, fez-se mulher tomando o seu rumo na vida, saindo de casa, não obstante as bocas mal faladas, daqueles que de moral só tinham para vender e não para consumo próprio.

Hoje admiro esta senhora, admiro pelo que lutou e continua a lutar para estar onde está agora. Passou, com o meu pai, por momentos difíceis por não ter casa própria, andavam de um lado para outro, mas enquanto isso nunca se deixaram desviar dos seus objectivos.

Lembro-me das longas horas de estudo de madrugada, ela e o meu pai para poder finalizar o curso, dos fim-de-semana sem os filhos, para poder estudar. Lembro-me das manobras e peripécias necessárias para gerir o tempo para as várias actividades.

Lembro-me da fase inicial da vida, em que muita coisa que temos agora, não passava de um sonho.

Hoje, médica especialista, tenho orgulho de muito ter aprendido contigo no que respeita à conquistas na vida, a saber lutar, estando triste ou não.

Muito te admiro como soubeste ver os teus filhos crescer e soubeste acompanhar esta evolução, evoluíste não só como Mãe mas como uma amiga, em que soubeste dizer as coisas certas nos momentos certos.

Muito te admiro pelo esforço em proporcionar o melhor para os teus filhos, dar aquilo que não tiveste na tua infância, motivar e ajudar ao desenvolvimento deles.

A garra que tenho em lutar pela vida, e ver que é possível evoluir com o nosso trabalho, foi tudo fruto da educação que tive. A capacidade de fazer múltiplas coisas, cozinhar, tomar conta da casa, tomar conta de bebés, bom gosto, muito do elo feminino aprendi contigo.

Sei que no presente existem muitas coisas que lamentas,por naquela altura não teres tido muita paciência, ou dado mais atenção, mas digo-te, muito embora achasses que uma criança não têm noção, desde dos meus 7 anos a minha motivação para te ajudar em casa sempre foi porque me apercebia das aflições a angústias que passavam. Nunca soubeste porque nunca chegaste a ler as coisas que eu escrevia.

Hoje, um dos motivos do meu empenho no trabalho é realizar um sonho teu que guardei quando eu tinha ainda 8 anos.

Por tudo isso Mãe, digo que te amo muito, tenho muito orgulho e te admiro muito.

O HERÓI DE HOJE, É O PAI E/OU MÃE, QUE TUDO FAZ PARA DAR UMA EDUCAÇÃO A SEUS FILHOS.

Obrigado Mãe.

2 comentários:

O homem e a mente disse...

Se tiver algum erro digam, estou cheio de sono

ROSA AZUL disse...

Que erro pode haver quando um filho expressa o amor divino a sua mae?Nao existe erro algum quando sao palavras do coracao.Kisses!

Poderá interessar também..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...