quarta-feira, 11 de março de 2009

Os meus defeitos

Nada melhor que a data do meu aniversário 11 de Março, para falar dos meus defeitos. É uma reflexão sobre mim mesmo, uma incidência da luz de palco sobre mim mesmo. Comecemos:

  1. Não festejo os meus aniversários; desde que me tornei dono de mim mesmo.
  2. Não lido bem com elogios; e já melhorei um pouco.
  3. Não me acho bonito; embora não me afecte a auto-estima.
  4. Sou hiperactivo; não é bem defeito, mas as vezes é demais.
  5. Faço sempre várias coisas ao mesmo tempo; até curto esta parte senão, dormia.
  6. Durmo nas aulas; é verdade, é difícil as vezes manter-me acordado em certas aulas.
  7. A minha confiança as vezes assusta-me; as vezes simplesmente sinto-me intocável.
  8. Dificuldades em assentar nos relacionamento; boa parte não porque não quero, mas por causa das circunstâncias da vida.
  9. As vezes ressono; não sei dizer quantas, porque não me oiço, hehehe, só para dar sinal a quem estiver ao lado que estou vivo :P.
  10. Adoro estar sozinho; tenho trabalhado nisso, um amigo meu disse que seria capaz de viver sem ter ninguém no mundo; e seria, mas agora já não, Graças a Deus.
  11. Sou extremamente sensível ao estado de espírito das pessoas, principalmente das que de alguma forma me interessam.
  12. A minha cabeça é demasiada complexa para eu conseguir explicar determinadas coisas; isso porque tudo nela tem um medida emocional, e esta é difícil explicar a escala.
  13. Tenho dificuldades a dormir; não importa quanto o corpo está cansado, a minha mente as vezes está demasiado desperta a criar ou pensar.
  14. Não consigo cantar nem tocar alegria; vida, drama, melancolia, e tristeza são melhor retratados por mim do que alegria, no entanto, a minha vida não sou assim, na realidade, canto o sentimentos que já senti dos outros.
  15. Tarado e perverso; hummm, epa esse não faço questão de mudar, já é de família.:D
  16. Posso falar pelos cotovelos como passar dias sem abrir a boca; as vezes é difícil, as pessoas mais próximas perceberem porque estou em silêncio, e as mais distantes acharem que nunca me calo.
  17. Embora seja muito calmo e sereno, por dentro controlo uma fera.
  18. Não suporto andar muito tempo em grupos de pessoas; agora já suporto melhor em determinados grupos de amigos, mas tenho tendência a isolar.
  19. Sou incapaz de voltar para algum relacionamento depois de ter terminado; confesso que não sei porquê.
  20. Consigo ver ou saber coisas que até me magoam mas não falo.
  21. Todo relacionamento com pessoas tem um hierarquia para mim, na qual cada um tem um papel e nesse papel permissões de como eu deixo esta pessoa tratar-me e aquilo que aceito fazer por esta pessoa; é um pouco chocante.
  22. Trato muito bem quem namora comigo, mas se esta pessoa for tocada por outra enquanto estiver comigo, já não a conseguirei tocar; bem isso talvez explique não conseguir voltar, mas acho isso muito estúpido, só que ultrapassa o meu racional.
  23. Muito relaxado as vezes; as vezes simplesmente sei que determinada coisa é para ser minha, quer faça algo ou não, então relaxo.
  24. Não acredito no amor a primeira vista.
  25. Embora não pareça, sou uma pessoa muito fechada.
  26. Sou muito auto-crítico; nota-se hehehehe.
  27. Pareço que nunca dou atenção quando falo com alguém porque estou sempre a olhar à volta; reclamação de 3 namoradas, é preciso dar credibilidade :P.
  28. Demasiado apegado ao meu próprio espaço e minhas coisas.
  29. Sou muito desconfiado, para mim certas acções têm que ter um porquê sempre.
  30. Penso em demasia para certas coisas, não me deixo levar facilmente.

21 comentários:

susana disse...

Meu querido amigo,
Aquilo que aqui intitulas como defeitos, eu vejo apenas como características, que todos temos, uns de uma forma outros de outra. Para mim não são defeitos, apenas traduzem a tua forma de ser individual e social.
E embora considere que és uma pessoa muito consciente e inteligente, não te consigo ver exactamente da forma como te retratas. Porque:
- és uma pessoa extremamente sensível, solidária, carinhosa, amiga, atenta e interessada pelos outros;
- quando estás em grupo consegues atrair as atenções sobre a tua pessoa de uma forma quase mágica, onde prendes todos com o teu discurso e a tua forma de ser;
-consegues manter uma conversa interessante durante horas e horas, sem que ninguém se canse;
-és um bom conselheiro e, do nada, consegues dizer algo que é mesmo o que aquela pessoa precisa de ouvir naquele momento;
- és um excelente músico e compositor. as tuas músicas tocam na alma;
- fazes umas óptimas massagens nos pés;
- és uma pessoa muito especial.

ainda não acabou!!!!(continua)

ROSA AZUL disse...

CONTINUAAAAAAAAA...TA MTO BOM.Estou a espera da segunda parte.Ja ri com alguns pontos.

M.P. disse...

Dos 30 defeitos que tens escrito aqui, só alguns são verdadeiros defeitos. E depois é muito possivel que aqueles defeitos tem um só raíz, o qual provavelmente não está na lista. Para encontrar aos seus defeitos alguem precisa de mais tempo, mais analisis e sobre tudo de muito coragem. Vê-te no espelho e olha detrás daquelos 30 defeitos e aí vais encontrar. Força e boa sorte!

Huang disse...

Alaney escreveu: Sou hiperactivo; não é bem defeito, mas as "fezes" é demais.

Aposto que bebeste café, tu devias de estar a pensar no WC quando escreveste essa frase :p

O homem e a mente disse...

Já corrigi hahahaha, mas por acaso hehehe nem tinha dado conta:)

Huang disse...

Hehehehe, a parte disso, gostei muito e continua com isso :)

Texto-Al disse...

sempre importante fazermos esse tipo de reflexao;)

parabens;)

T.

Etel disse...

Meu amigo, leio a tua lista e ocorrem-me tantas ideias que nem sei bem mesmo por onde começar. Eu tenho o “defeito” de encerrar uma explicação com um “Tudo é relativo” e, desta vez, decidi inverter posições e começar por aí. Perspectivando os defeitos que apontas por diferentes prismas, eu sigo por caminhos diferentes; nuns eu chego à conclusão que a minha consciência continua a vê-los como defeitos mas há outros também que, para mim são, seguramente, qualidades. Tudo é mesmo relativo. Ehehe!

Se falar das nossas qualidades é, por vezes, constrangedor (sinto-me pouco à-vontade quando me pedem para apontar as minhas ou quando oiço aquele elogio “Tu és…”), falar dos defeitos torna-se, no mínimo, complicado. E não tem a ver com o facto de nos expormos perante os outros, mostrando o nosso lado “menos bonito”… confesso que isso não me afecta, até porque quem não tem defeitos que atire a primeira pedra, biblicamente falando. Claro que, no calor de uma discussão, ouvir o outro apontar os nossos defeitos magoa e muito…

Mas o que mais me “incomoda” é justamente pensar que ainda não consegui ultrapassar todos os meus defeitos. Ultrapassar? Ultrapassar aqui tem um duplo sentido: assumir o defeito como algo incontornável e seguir em frente; ou alterar o meu comportamento/atitude de modo a poder dizer “consegui deixar de ser assim e estou feliz por isso”.
E atenção aquilo que em mim eu considero um defeito pode ser visto aos olhos dos outros como uma virtude/qualidade da minha pessoa. Recordo-me de como, por vezes, o “És sempre tão organizada” me "incomoda" porque não consigo trabalhar de outra forma, e confesso que tenho admiração por aquelas pessoas que mesmo tendo a mesa num caos trabalham tão bem como eu. Admiro-as por isso e o “ser desorganizado” deixa de ser um defeito para mim, pelo menos, nestas pessoas…

Penso que há um ponto assente… é que tudo depende daquilo que projectamos no nosso “querer ser”. Quem é, por exemplo, introvertido, mais calminho adoraria ser o centro das atenções de uma festa. Mas, se calhar, quem o é habitualmente também gostava de levar uma vida mais calma, até porque esperarem sempre de nós essa alegria torna-se cansativo ao fim de alguns anos…

E se pensarmos bem nos mais variados cenários que a vida nos proporciona, não me parece que haja um defeito 100% defeito nem uma qualidade 100% qualidade. Por outras palavras, depende daquilo que se está a viver naquele instante, de com quem se está a viver o momento, do sítio onde estamos, etc… Até o facto de uma pessoa achar que tem o defeito da passividade pode ser uma qualidade se, de repente, se encontrar no meio de uma discussão acesa; é a chamada “água na fervura” que resulta para que os ânimos acalmem.

O defeito só é, pois, para mim “defeito” quando eu convivo mal com a minha forma de ser A, B ou C. Quando a minha atitude, a minha impossibilidade de agir de modo diferente, aquilo que eu considero que seria o correcto ou o mais profícuo e eu não consigo fazer me traz amargos de boca, me impede de ser feliz. Aí sim estou perante um defeito.


Também há aquelas pessoas tão centradas sobre o seu umbigo que não têm consciência, não cresceram o suficiente para perceberem que as suas “pseudo-qualidades” são consideradas pelos outros apenas e tão só como defeitos. Estou-me a lembrar daquelas que se acham mais inteligentes que os outros, superiores aos outros em tudo…

Claro que ninguém vive sozinho, claro que as opiniões/visões dos outros sobre a nossa pessoa devem ter algum peso, mas, fundamentalmente, importa saber se “aquele jeito de ser” nos magoa ou não (ou se magoamos aqueles a quem queremos bem com esse tal defeito) e o que estamos na disposição de fazer para mudar.

Tudo é mesmo muito relativo!...:)
Beijos no coração!

O homem e a mente disse...

Em primeiro, quero que olhem para o que escrevi como auto-flagelo.

Susana minha amiga tudo que apontaste pode ser verdade, mas não significa que não tenha defeitos, mas de facto a Etelvina tem toda razão é relativo, mas eu encaro alguns pontos como defeitos porque os conheço bem. Muitas das mudanças vêm do facto de conviver com amigos como vocês, pessoas que se dedicam de corpo e alma, que exteriorizam o quanto gostam de alguém, sem mínimo interesse por bens materiais, é algo raro hoje em dia.

Algumas pontos que pus como defeitos tem haver com o facto de ter vivido por algum tempo rodeado de pessoas com falsas amizades, algumas que um intelecto demasiado baixo ao ponto de fazer sentir a tua pessoa como maluca. Logo, estes fazem que por exemplo a tua confiança nas pessoas seja mais controlada.

Obrigado por todos os elogios és uma pessoa adorável

O homem e a mente disse...

M.P.

Porque achas que não fiz essa análise e o que achas que está realmente escondido por detrás na realidade.

Para se analisar os próprios defeitos não é necessário coragem basta ser confiante do que se é.

Espero resposta ;)

O homem e a mente disse...

Texto-Al
Sim é importante, se o nosso intuito como homem é melhorar, devemos olhar também os aspectos negativos que temos.

O homem e a mente disse...

Etel
Tudo que disseste é uma verdade é relativo, mas também é verdade que no dia-a-dia muitas vezes não se consegue observar tudo relativamente a convivência com uma pessoa, uma coisa é as poucas horas juntos e outra o viver todos os dias.

Até a mais nobre qualidade pode se tornar um defeito para alguém perto de nós numa convivência diária. Mas o que disseste é totalmente verdade, adorei o posto, lindo, lindo lindo.

ParadoXos disse...

PARABÉNS!!

Um post muito corajoso e singular num dia tão especial pra ti! É, no que li, vi muitas qualidades que se confundem com defeitos. Mas não são. Ja viste? Mesmo nos defeitos consegues ter qualidade!!

Parabéns!!

O homem e a mente disse...

É o que digo amigo, é tudo uma questão de perspectiva.

Muitas vezes por sermos diferentes e termos atenção toda virada sobre nós, queremos ser igual aos outros, quando somos iguais aos outros, queremos ter algo que nos diferencia. Mas o que não sabemos é que somos na realidade todos diferentes e todos iguais ao mesmo tempo, hehehe.

Anónimo disse...

oi alaney,as vezes és distraido, as vezes te fazes de distraido.és um génio bastante atento.
Luisíndia

O homem e a mente disse...

Obrigado, mas não sou nenhum génio, só escrevo o que penso e observo, e também observo a mim mesmo. Sim, é verdade as vezes pareço distraído, mas não estou. ;) beijo

Anónimo disse...

Muitos desses ítens não são defeitos,e como a nossa amiga disse,são características!Mas,ao invés de você ver seus defeitos,deveria olhar para as suas qualidades,pois ninguém é feliz vendo somente defeitos em sí mesmo.Já disse Jesus: "Amai a Deus sob todas as coisas,e ao próximo como a ti mesmo",reflita sempre sobre isso,lembre-se sempre disso,pois é o que carregamos para toda a vida!
Abraços,Marina Heck!

O homem e a mente disse...

Obrigado. Mas atenção que quando me refiro aos meus defeitos estou a retratar simplesmente como uma reflexão e não de forma pejorativa. Mas muito obrigado pelas palavras.

Carolina Jorge disse...

Identifico-me com metade dos defeitos referidos e acho que é a primeira vez que acontece, normalmente, parece que não me identifico com nada.

O homem e a mente disse...

Eu acredito que sim, aliás nunca a vi e a descrevi, porque será ;)

Anónimo disse...

UM BANDO DE DESOCUPADOS; INCLUSIVE EU, DEVEMOS LER A BIBLÍA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...